sexta-feira, 31 de julho de 2009

A semana que se foi deixando boas lembranças e mais gastrite!

Sexta feira e eu em casa. A vontade de sair foi calada pelo cansaço de uma semana intensa. A gastrite me fez passar metade dos dias colocando comidas gostosas para fora. O trabalho então, me consumiu, me estressou, ao mesmo tempo em que me trazia momentos bem gratificantes.
A aula de segunda foi um retorno trinufal, ao posto de professora que eu desempenho da melhor maneira que consigo e de maneira muito feliz. Rever meus alunos (agora 2), foi uma noite incrível.
Terça a festa na Embaixada do Peru me alegrou e matou a saudade que tenho de alguns tempos maravilhosos.
Quarta, rever mamãe e seu largo e feliz sorriso, rever meus sobrinhos e irmão foi muito fofo e alegre.
Quinta, foi dia de organizar material para as aulas de sábado (russo pela manhã e espanhol pela tarde), e noite de colocar a casa em ordem, já que ela estava precisando de muita água e sabão.
Hoje, me sento aqui em frente ao computador, escutando Shakira, montando coreográfias e agradeçendo pela aula de dança do ventre, que me trouxe muito gás para os próximos dias.
Nada de novo, a não ser alguns pentelhos do sexo masculino, me estressando para obviamente ter uma noite comigo e me deixar na mesma noite, coisa que no atual momento está fora de qualquer plano de vida amorosa.
Ouvi de tudo, guardei conselhos, fiquei chateada com algumas coisas, li muito Harry Potter e observei muitas outras coisas. Calei, silenciei e abstraí mais do que o de costume. Fiz planos de uma nova menina e desejo que todos sejam felizes, com ou sem gripe A.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Poxa, amanhã é sexta e além de minha super aula de dança do ventre, não me resta nada além de tomar destilados sozinha.
Se alguém tiver alguma idéia, meu celular tá com bateria fortalecida.

Uniforme- repartição-homem feio

Tem uma calega de trabalho que diz que me acha muito estilosa.
Sim, eu também, mas quando coloco meu uniforme eu me acho uma tarântula. O uniforme é terninho preto com uma blusa de aeromoça da Gol. As cores:branco, azul e laranja com o nome da empresa. Gente, é absolutamente inviável conquistar alguém com aquela roupa. O sapato então é um detalhe à parte. Minha mãe nunca usaria um sapato daqueles, porque ela é minha mãe e ela é chique.
Então, não faço a mínima questão de economizar roupa. Só coloco a devida fantasia quando chego lá. Prefiro acordar mais cedo e sair fazendo minhas combinações e charmes. Meu chefe me obriga a suar o uniforme, diz que é padrão e que devo seguir. Ele me assegura que fico bem usando a roupa de aeromoça.
Hoje tentei usar um tamanco, para me sentir mais alta. Mas ele reclamou e acabei tendo que por meu sapatinho da vovó.
Sim, seguir normas custa caro para meu psicológico.
E para quem me pergunta quantos eu já peguei na repartição digo com o coração em alegria, que não existe a palavra "homem bonito' por lá. Oh povo feio!. Se depender de mim, lá eu fico virgem.

A Festa na Embaixada.

Terça rolou a festa pelo 188º aniversário da Independência do Peru. Fui convidada é claro e fui.
De ínicio fui muito bem recepcionada pelo Embaixador e por todos com quem trabalhei.
Tava lotada de diplomatas e militares, e os diplomatas em sua grande maioria gays, ou seja, a chance de arranjar um namorado era nula.
Tudo bem, me acabei tomando Pisco, a cachaça peruana que eu simplesmente adoro. Perdi a conta de quantos tomei. Comi algumas iguarias, mas a contra gosto, porque mesmo tendo trabalhado lá por um tempo, eu não me adaptei com a culinária peruana.
Foi muito bom, me diverti com meus antigos companheiros e recebi altos elogios. Disseram que faço falta pela minha capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo com um sorriso nos lábios e sempre atenta ao pessoal que ia visitar a Embaixada.
De minha parte também bateu uma saudade básica. Aprendi muita coisa e principalmente a respeitar a cultura alheia.
Foi uma noite ímpar, onde me diverti e matei a saudade.
Vou te descrever, para desabafar..........
Você é daquele tipo de passoa que não sabe lidar com sentimentos, sejam os bons ou ruin.
É egoísta, e recria para os outros e impoe limites imaginários.
Você não respeita, você não convence, você é uma farsa.
Parece um anjo, parece uma criação Divina da melhor qualidade, mas não o é. Algo ficou faltando, uma peça que não se encaixa e sua vida é pautada em sua mente dominadora e manipuladora.
Dorme e acorda com maldades infundadas e não acrescenta nada na vida de ninguém.

Fico pensando, por que ainda me apaixono por disfarçes carnavalescos?
Aceitando curriculum para avaliação.
Vaga de dono do meu coração!
Ouvir da mamãe que eu sou uma filha ótêma, realmente eleva qualquer auto-estima.
Ouvir de um irmão, que eu estou linda, deixa qualquer rosto magro ruborizado.
Perceber que sua irmã é a melhor coisa que lhe acontece em tempos de cólera.
E ver sua família cada dia mais linda, com sobrinhos maravilhosos e saudáveis, é realmente tentador.
Só me resta agradecer e o resto é consequência!
Beijo e um lindo dia!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Uma pessoa comentou que ser Secretária deve ser muito chato, porque tem que saber tudo da vida do chefe.
E como hoje passei por um momento tenso no trabalho, obviamente me questionei e me entristeci por algumas observações.
Mas no fundo, é meu trabalho, que eu amo, que eu preciso, que eu me entrego durante 8horas de meu dia, mais o tempo que levo indo e voltando e mais o horário do almoço.
A vida é escolha e faço dessa escolha meu momento importante de ser.
Problema e desinformação, stresse e mau humor há em todo lugar, então independente da profissão eu sei que passarei e passaremos todos por isso.
O lance é sorrir para a alma, ela sabe o que fazer com tudo isso.
"Eu sou eu.
Você é você.
Eu não estou nesse mundo para atender às suas expectativas
E você não está nesse mundo para atender às minhas expectativas.
Eu faço a minha coisa.
Você faz a sua.
E quando nos encontramos
É muito bom."


Roubei de minha professora. Achei tudo!

O despertador insistente

É cedo ainda. O despertador descontrolado, insiste em acordá-la. Ela vira para o outro lado e tenta relembrar o sonho da noite anterior. Desiste. Se levanta, nua, ela resolveu se libertar das roupas ao dormir, melhor, incomoda menos.
O banho demorado, quente, molha seu corpo magro e cansado. Escova os dentes, penteia o cabelo, passa um gel, ela quer estar bonita no começo da semana.
Não toma café, escolhe a roupa, o sapato, a bolsa, as jóias. Ela continua querendo estar bonita e agora, elegante.
Lá fora o sol já brilha intensamente, mas faz um certo frio. É cedo e ela tem que seguir.
O dia parecia que seria intenso e assim o foi. Entre telefonemas e computador, o stress do chefe, a viagem que não sai. Ela se desespera, o braço doi, a cabeça gira. A fome, o almoço, as horas qeu parecem não passar.
Hora de ir para a aula, ela estuda, ela ensina, ela aprende, ela vive feliz com sua teorias conspiradoras de um mundo tecnicamente melhor.
Ainda faz frio e seu braço ainda doi.
A volta para casa parece o fim de mais uma jornada estressante. Não o é. A noite, ainda longa e maravilhada pelos cantos dos deuses, não tem fim em seu coração empedrado e triste.
Ela já não faz planos para amanhã. Ainda à espera do despertador tocar.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Segunda eu queria dormir.
Na terça eu queria crepe doce, com morango e chocolate e duas bolas de sorvete.
Na quarta eu queria comprar edredom colorido e pintar meu cabelo.
Hoje eu queria codorna e muitas bebidas destiladas.
Amanhã eu quero dançar e rir, tudo ao mesmo tempo.
No sábado eu quero dançar e cantar, também tudo ao mesmo tempo.
E domingo?.
E segunda?
Seguindo a linha, o trem para ao meu lado e pede passagem irregular aos sonhos indecifráveis.
A garota do barrigão, hoje mulher pede ação às suas atitudes maquiavélicas.
E ela escreve rimas infantis, desenha árvores sem raizes e recria patinetes em origamies prateados.
Presenteie minha alma com carícias grotescas e penteie meu cabelo com escova de ouro.
Mas não precisa adentrar meu mundo.
Me deixe respirar o ar cheio de vibrações aleatórias.
Este ano 4 sobrinhos chegam aos 18 anos. Dois já esão curtindo a idade dos deuses e até o fim do ano, mais 2. E pense em uma tia orgulhosa!! Meus sobrinhos são absolutamente fofinhos e especiais e sou coruja sempre, mesmo que digam o contrário.
Minha amiga casa em dezembro, mas para mim a festa já rolou, porque quase todos os dias ela me liga para contar algum detalhe. Pena que até agora só provei docinhos esalgados de um buffet..........E ela já escolheu a cor da roupa que eu terei que usar........Ela já escolheu as músicas da igreja... Ela já comprou a lingerie para o grande dia (eu ajudei a escolher a cor, sim, nada de branco, cor e alegria sempre!)....Ela já sabe a onde passará a lua de mel e conheceu a família do noivo.........
Cara, felicidade é algo que contagia mesmo né?
Meu amigo da repartição estava ansioso para a retirada do aparelho fixo.
A semana inteira ele planejou todos os detalhes e já tinha até comprado o ingresso para o seu primeiro dia livre da maldição dos ferros.
Eis que o grande dia chegou. Ele foi mais cedo, saiu mais cedo e ficou doente. Sim, a gripe que assola os brazilienses nessa época do ano veio com força e ele acabou comemorando o grande dia em casa, tomando remedinhos.
Eu quando tirei o meu, há exatos 7 anos, a minha primeira atitude foi tomar uma coca-cola bem gelada. Eu fiquei 2 anos sem tomar, então imaginem a minha felicidade ao ver o meu líquido sagrado adentrando em meu corpinho tenso..........
As pessoas olham e dizem: Como você se sente gorda?. Simples, eu me sinto gorda e ponto final!.
Todo dia eu digo Karla, você precisa emagrecer. E eu emagreço muito.
Mas sabe: em breve eu terei alcançado a meta inicial e não mais terei essa obessessão. Mas digo: não é fácil.
Acho interessante, quando logo pela manhã, recebo a ligação de uma pessoa que há algum tempo disse que eu invejava a vida dela.
Eu estava mega-ultra ocupada, não tive tempo para conversar.
Não dá né?.............

Cinzas e metais

Eu hoje entrei em neurose absoluta. Pintei um quadro, reescrevi minhas histórias.
Gritei te odeio um milhão de vezes, como um mantra. Escutei a mesma música, enquanto o cigarro queimava a minha mão.
Sentada, na calçada, bêbada, após uma longa noite de desvaneios indescentes, pego um táxi, vagueio pela cidade luz e cuspo misericóridas aos mendigos.
Você é absolutamente uma merda, do nada, do fim. Eu quero que o mundo te engula em tecnicas alarmantes de profécias e caricaturas demoniacas. Há tantos buracos no mundo, esconda-se em um deles, pois soltarei aquele meu veneno mortal.
Subo as escadas. Dispensei o elevador, eu subo voando, minhas asas são vermelhas e tem brilho. Sou um vagalume ensanguentado por cadáveres e afins.
A casa, uma desordem. Livros, roupas, tatuagens pela casa. Cheiro de incensos de metal. Louça suja por vários anos, na geladeira água e cinzas. A torneira pinga lágrimas e eu só penso em dormir e te esquecer em sonhos com cinderelas.
Não quero ver a luz, não quero abrir as cortinas ao meio-dia. Desisto de escutar os sons da rua, de seres insanos e que deixam a atmosfera perturbada e chata.
Me escondo entre meus lençois, quero mesmo é que o mundo escorregue sobre meus pensamentos.
Só penso em mim.
Hoje eu escolhi a máscara da maldade.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Garotos insanos!

Ontem foi o dia do amigo. Aí eu resolvi ser fofinha e fiz uma mensagem, que enviei para várias pessoas que eu julgo importantes em minha vida.
Várias retribuiram o carinho e isso me fez muito feliz. Menos um rapaz, que pelo que entendi é do grupo do povo que joga RPG. Não sei por cargas dágua, ele também recebeu a mensagem e respondeu de uma maneira tão ironica e tão de forma grotesca..Fiquei com uma imensa vontade de explicar e dizer que era só ignorar a mensagem né?. Para quê comentar então?. Se eu não o conheço e ele não me conhece, obviamente a mensagem só pode ter ido por engano.
Mas não, esse tipo de gente gosta de parecer superior e fodástico. E eles conseguem me irritar imensamente.

Tensão

Acordei tensa, gripada, mau humorada. O dia não passou, eu passei pelo dia, vaguei e viajei. Confundi coisas, perdi o bus, ou ele não passou de novo, nem na ida e nem na volta e isso me sugere que estou pagando para trabalhar.
O que salvou meu dia foi meu chefe, que como smepre bem humorado e prestativo, nos controu histórias engraçadas sobre sua juventude.
Levei bronca de aluno, chorei, espirrei.
Tudo me deixa extremamente desanimada e irritadíssima.Preciso compra uma bolsa e pintar o cabelo. Começei pintando minhas garrinhas.
Como minhas besteiras, bebo minha coca e tenho que em breve colocar o corpo para tentar descansar, já que ontem um mosquito resolveu me incomodar durante a noite.
Humpf.........Sonho com férias, cores e festas. Mas primeiro preciso curar a gripe!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Como volto para casa?

O que mais gosto em minha cidade é a falta de bus. E a onde moro nunca tem um. E olha que é a cidade do futuro.
Hoje pela manhã, para variar, o bus não passou. Sim, eu tive que sair correndo para o metrô, ficar 30 minutos enfiada em meio à uma multidão de pessoas feias e depois pegar outro bus para tentar chegar na hora. Cheguei 10 minutos atrasada.
Eu já briguei com o governador desta cidade que leva o nome de Águas Claras, mas que eu carinhosamente chamo de Águas Barrentas, porque quando chove é lama, quando não chove é pó absoluto.
A minha vida mudou um milhão % depois quem e mudei para cá em 2006. Nunca mais fui a mesma pessoa, por vários motivos, mas o principal é não me adaptar à rotina de pedir carona, de depender de horário para voltar para casa e de sempre faltar o transporte digno que deveria ser direito de todos.
E todo dia que resolvo passear é a mesma pergunta:'como volto para casa".

O dia todo dia do amigo!

Há coisas na vida que não entendo, apenas vivo o inimaginário e o delicioso.
Assim foi almoçar com meu aluno-mais-novo-amigo-de-infância. Assim foi jantar com a minha amiga que me acolheu em sua casa em mais um de meus momentos de crise absoluta.
E assim Deus coloca em nossas vidas pessoas que teoricamente não tem nada a ver com o nosso universo, mas fazem parte dos momentos mais especias, loucos, inacreditáveis, barulhentos, mudos e coloridos.
Eu tenho ótimos e magníficos amigos, com quem compartilho os mais diversos gostos, com quem fofoco, vou ao cinema, choro as pitangas, crio histórias, estudo, canto, danço, brigo, confidencio, prego, declaro, recrio..São tantos os motivos que encontro para tê-los bem pertinho de mim.
Hoje é a data oficial do dia do amigo, mas para mim todo dia é dia de dizer aos irmãos que escolhemos muito obrigada por abrilhantar as trevas de minha vida. Por tentar fazer de minha pessoa uma pessoinha melhor.
E claro, tem as que eu encontrei em diversos momentos de minha vida, mas que por pequenos deslizes do destino ou decisões divinas, acabaram trilhando caminhos diferentes, novos e felizes, mas que em vários outros momentos de minha vida, eu lembro e faço uma prece para que estejam todos muito bem.
E desde já agradeço aos futuros amigos que a vida me dará de presente.......
Um beijo fofuchos de meu coração!

domingo, 19 de julho de 2009

Passam as horas infinitas.
Leio poemas e trasncrevo emoções perpétuas.
Escrevo minhas linhas cor de rosa e me escondo em fiapos de alegrias.
Mendigo amores brutos e inconsciência.
Vou ao luto e ao céu na velocidade do vento.
Te espero brilhante e apaixonado. Te amo pelo contrário das palpitações do amor.
Não sinto formigas, nem borboletas. Sinto o vázio de corpos e copos.
E adormeço na intensa vontade do desaparecimento de minha alma.

Parada Gay de Brasília!

Fui à Parada Gay de Brasília. Nem sabia que estava em sua 12ª edição. Achei interessante, eu nunca tinha ido e fui por pura e plena curiosidade mesmo. Não nego isso. E no final, foi uma noite incrível, com pessoas vivendo em seu mundo particular, com a presença de simpatizantes e de pessoas que respeitam a individualidade e a opção sexual daqueles que estava lá. Nada de brigas, nada de caras e bocas, quem foi, certamente foi porque tem respeito.
Depois fui lanchar com um amigo e uuma amiga, jogar conversa fora, rir, e aprender mais sobre as liberdades que fazem bem à alma.
Só alegria no fim de semana e para fechar com chave de ouro, uma bela noite de sono!.
Beijos e beijos!

Fim de semanaa mágicas e afins!

Sábado foi um dia bem atípico.
Acordei, terapia, casa, aula de russo. Depois rolou um problema no serviço de um de meus alunos, lá vou acompanhá-lo e enquanto ele resolvia o probleminha eu torrava ao sol e escutava Jorge e Matheus. Dois bus depois, parei para comprar presente para meu afilhadinho lindo que completou anos na sexta e fomos para a casa do aluno de novo esperar a hora para o jogo de RPG.
Jogo RPG, tomo todo o café da casa e saio bela para o metrô. Em casa começo minha maratona msn-twitter-blog-e ego, até que uma amiga da faculdade me liga para balançar os esqueletos. Eu estava até traçando planos de uma noite intensa com um gatinho, mas ele estava ocupado, então enquanto ele não vem, eu espero dançando um pouco, porque se eu esperar sentada haja tuitadas!.
Passo na casa dela, ela fazendo escova, eu lendo Caras tomando uma cervejinha geladinha (eu nem bebo, foram duas goladas únicas e certeiras, para não sentir o gosto de fato). Saímos e nos deparamos com uma noite de sertanejo regada à ótêmas companhias e alguns gatinhos para olhar. Conheci novas pessoinhas também lindas e curti a noite em meu salto e com meus cabelos laranjas. Bebi coca e dançei tanto com meu amigo e com meu novo amigo, que em determinado momento eu realmente pedi para sair.
Cheguei por volta das 04 da matina, postei algo no twitter e capotei. Acordei as 11 e já me meti na internet com coca e Hot Pocket. Mais cochilos e aguardo de uma noite ainda mais interessante.
Parada Gay em Brasília, quem apoia a causa, estejam lá daqui a pouco, na Esplanada do Ministérios.
Beijokas

eu amei e eu amo

Estava vendo as fotos do casamento da Stefhany Brito com o Pato e tenho que comentar que foi um casmento lindo, um verdadeiro conto de fadas. Claro que desejo que tanto eles, quanto todos que se casam sejam felizes mesmo.
E aí lembrei de uma pergunta que me fizeram logo que meu ex-terminou comigo:" Você o amava?". E eu respondi que sim, claro que eu o amava e ainda amo, porque eu acredito numa forma de amor que vai além das convenções impostas pela sociedade.
Para mim, o amor está no dia a dia, na entrega, no carinho. Toda representação positiva é uma forma de amor aquém do que imaginamos.
E eu amei cada pessoa com quem convivi, mesmo que um mês, dois anos. Amei de forma incondicional, porque eu amei a pessoa exatamente pelo que ela é.
E eu falo de meus ex, por pior que tenha sido o término, sempre de maneira positiva. Eu guardo em memória cada momentinho juntos, porque ali era o momento de entrega, de dedicação e isso para mim é o ápice do amor.
E agradeço de forma extremamente carinhosa a cada um, pois pelo menos para mim cada um me ensinou algo de mim e de minhas limitações. Fui feliz, me diverti, fui amada também, cada um de uma forma e só me resta realmente desejar o melhor. Sempre! Para mim e para todos.

Let´s dance! One more music.......

Por que eu não tenho um namorado?.
Porque não dá para namorar uma pessoa que não me deixa dançar. Eu amo dançar e fico irritadíssima quando estou em um ambiente onde tem música e eu tenho que ficar de molho, olhando pessoas se deliciando de um lado para o outro.
Dançar limpa meus poros e renova minha alma pertubada. Danço o que estiver tocando e sempre estou pronta para mais uma dança.
E assim eu me transformo em uma pessoa mais feliz e permaneço com uma carinha de menina.
Porque ser feliz e dançar não tem preço.

sábado, 18 de julho de 2009

RPG

Resolvi aprender a jogar RPG. Sim, eu fui preconceituosa durante toda a minha adolescência, criticava mesmo o povo que ficava viajando em coisas que aparentemente não faziam sentido algm.
O destino é crucial e destemido. Ele sabe que sou aberta à mudanças, sou especialmente favorável a aprender coisas novas e a me decicar a novos caminhos sempre que preciso.
Assim foi o destino ao me colocar diante de um grupo que joga e que é normal, que tem uma vida normal e não eram os personagens que eu imaginavam que eles poderiam ser.
E desde o mês passado eu venho tentada a jogar e hoje finalmente tive a minha primeira lição. Me reuni com meu mestre e aparentemente é algo que me fará muito bem. É um jogo só de meninas, para iniciar. E confesso que adorei. Acho que é uma maneira de extravazar certascoisas que ficam em minha mente e que nemsempre coloc parafora. Personagens mágico, fantasia deliciosa.
Fazer novos amigos, conhecer novos meios de ser feliz: não tem preço.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Come Karla, come!

Tenho andado mocinha: salto alto, terninho. Só não ando abusando da maquiagem, tentando cuidar um pouco da pele.
Em 15 dias perdi 4 kilos. Ainda não consegui recuperar. A luta de engordar o necessário doi para mim mais do que doeu para emagrecer.
O lance da cabeça pesa mais que tudo.
Ontem um de meus alunos comentou que eu sou estranha com as minhas comidas. E percebi que virou rotina mesmo não comer. Meio que me adaptei à minha rotina estabelecida por profundas marcas no coração.
Hoje me encontrei com meu guru e claro, levei aquela bronca habitual. Ele fica vermelho de raiva quando me pesa e vê que continuo com meus belos 40 kilos.
Minha gente, comer doi demais, mas até que tenho conseguido dormir, o que já é um avanço sensaciocrível.
Essa semana não coloquei nada para fora, acabou que tudo permanceu em seu devido lugar, trabalhando da melhor maneira.
E sigo a rotina do: come Karla, come!!!!. Se não nada de peitos, nada de saúde e muito menos de coragem.

Ler é lavar a vida!

Hoje eu contei uma história interessante sobre como começei a gostar de ler e lembrei da diretora me dizendo:'Você não está mais em seu país. Está no meu país e tem que gostar de ler".
Lembro das lágrimas de vergonha ao ouvir aquilo ali, aos 12 anos, perdida entre meus mistérios de pré-adolescência.
Aquela frase, a atitude que ela teve comigo e a paciência me fizeram uma pessoa apaixonada por livros de todas as formas e textos.
Ela acreditou em meu potêncial e foi meu professor de literatura na época que afirmou que eu escrevia bem e que deveria investir nisso.
De lá para cá, muita coisa mudou, inclusive minha forma de escrever e de ler. Leio por puro prazer, leio por amar aprender, absorver todo conhecimento possível.
Além dele, outra pessoa no ano passado me incentivou a escrever de forma mais livre e tenho gostado do resultado.
E fico feliz, quando em algum momento do dia, recebo um e-mail de alguém elogiando o texto. Sim, eu amo escrever, eu amo a leitura despretensiosa e com sentidos profundos. Aqueço minha alma e aguço minhas vontades ímpares.
Sou grata ao dia em que lágrimas de vergonha se transformaram em decisões positivas e verdadeiras.
O caminho trilhado é conservador, crítico, mas suficiente para moldar almas e corpos insanos.
Amo e sou amada por meus personagens.
Ler é lavar a vida.

Morcegos e máscaras

Meus Deus como detesto parada, fumaça de bus, falta de bus, pessoas feias puxando papo e ainda mais papo chato............
Sim, eu estou com aquele mau humor que só arianas possuem várias vezes no mês, por todos os motivos do mundo.
E falo, e reclamo, aff, sem paciência para bizarrices que tumultuam a minha imaginação fértil.
Quero destilar meu coração, quero sumir no desepero da falta de coragem que me cerca constantemente.
Caligrafias inteligíveis, russo e opéra. Não estou presente e nem escolhi a máscara do dia.
Me escondi entre cobertores de sangue e de almas sujas. Escrevi uma carta para você, inimigo de meus pensamentos desastrosos.
Circule com fé diante da destruição de seu mundo obscuro e sintético.
Púrpura, rosa, caldo de cana. Facilite o caminho e desapareça imediatamente!.
Corra, esconda-se de mim, pois possuo garras que matam e ferem na ordem desejada.
Escolha a espada e mantenha-se longe do fogo. Eu soltarei o verbo que queima e tentarei te transformar em estátua de uma liberdade falsa e intacta.
O celular toca e eu não atendo. Não sinto desejos, nem quero desejar o que jamais irá me satisfazer.
Satisfação, eu sou um morcego. Corra.
Eu te pego ainda e te destruo.
Durma.
Eu durmo.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Show em detalhes!

Não consegui ver o filme que queríamos ver.

É a vida!

Fiz algumas observaçõs no show da Ivete e queria dividir, sabe como é: eu sozinha, não bebi nada,então acaba que não me resta muito além de observar.

1) Muita gente feia. Quando eu digo feia é porque realmete era. Por sorte eu fui ciente disso, pois imagina se eu encontraria alguém bonito e interessante em um show de axé?. Teve até um que tentou algo, mas no meio da muvuca ele recebeu no máximo umas cuspidas na cara. Outro até conseguiu algo, mas na hora errada. O cara resolveu me azarar bem na hora qe Ivetinha entrou e começou a cantar, eu não trocaria Ivete por cara nenhum, pelo menos não naquele momento.
2) Muita gente bebendo horrores e isso me deixou agoniada. Muito lança perfume, muita maconha, muito do que há de pior para um juventude feliz. Imaginem que um desses rapazes qu bebiam a vontade queria me deixar em casa. Nunca em minha vida precisei depender de bebun para me divertir e voltar para casa com segurança. Descartei a carona, e voltei mais cedo que o esperado.
3) Foi um show que para mim, valeu muito a pena mesmo. Eu estava com medo, pois fui sozinha na cara e na coragem. Ficavam me olhando, principalmente porque em alguns músicas eu parava e ficava relembrando cada coisa que se relacionva com ela. Eu estava em estado de graça, enquanto os outros farreavam.
4) Tinha uma garota de 11 anos no show. Achei interessante como nossas crianças amadurecem de forma tão rápida. Ela toda serelepe, barriguinha de fora, unhas vermelhas e maquigem forte. Parecia uma cocota, pronta para o abate. Acompanhada da mãe, meio Suzana Vieira,e eu pensado como a vida tem umas surpesas. Acho que com essa idade a minha mãe não iria, nem me deixaria ir de forma alguma, ela já estava morrendo de medo de eu ir sozinha, me recomedou um milhão de cuidados básicos, que obviamente segui à risca.
5) Estou pensando nisso e cometando até agora e repassando e relembrando cada momento.

Uma passadinha rapidíssima!

Longe do blog há algum tempo, no trabalho é bloqueado então fica conplicado.
Tenho inumeras novidades, mas serei breve.
A melhor de todas é que fui ver minha Ivete, sim a minha musa baiana, linda, grávida, maravilhosa.
Chorei no ínicio e no fim, eu estava emocionada, extasiada, feliz por essa oportunidade. Sim, ela é tão linda quanto na TV, canta tão bem quanto escuto nos cds e eu acabei me apaixonando ainda mais por ela e vou guardar esta noite em minha memória para sempre.

Tudo está caminhando. Entre tensões, lágrimas, florais e terapia. Perdi alguns kilos, andei muito nervosa, mas na batalha da vida, até que estou sendo uma boa guerreira.


Muito obrigada à três pessoas magníficas que Deus colocou em minha vida e que tem me dado força nessa etapa confusa. Sim, eu tenho pessoas especiais e isso vale muito a pena.
Beijo fofinhos de meu coração! Fiquem bem e depois eu volto com novidades mais específicas.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Para começar o dia bem feliz- gratidão!

Existe algo chamado "Gratidão". Ato que poucas pessoas possuem de fato. E não há nada mais gratificante que esquecer os erros alheios e entender o outro de forma constante. Desejo que hoje você perdoe, e certifique-se de que tudo na vida vai, e volta e as vezes pode ou não ser generoso.
Seja grato. Simples assim!.

P.S: Faz frio e rim doi. De novo!

Beijokas fofos!

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Eis que meu "namorado" termina comigo pela internet.
Acho interessante a evolução nos relacionamentos.
E acho tudo muito babaca!

Breves acontecimentos

Tem coisa mais chata que alguém dormir no bus e ficar enconstando a cabeça no ombro sem ser solicitado?.
Aconteceu comigo hoje, indo dar aula de espanhol. Entro desesperada, cansada, doida para sentar em um canto para ir dormindo. Sentar em um bus aqui na cidade é quase uma benção Divina. Sentei, linda e com olheiras enormes, verifiquei no relógio, eu teria 1 hora para um cochilo.
Eis que de repente, o caboclo que sentou ao meu lado começa a cochilar antes de mim, sendo que ele sentou-se depois de mim, ao meu lado, sem ser convidado. E começa a ir de um lado ao outro, com aquela cabeça enorme, parecendo um boneco de Olinda. E começa a encostar, encostar até que eu dou um cutucão daqueles e ele meio que se manca, desperta com aquela cara de pato e volta a cochilar.
Antes que ele pudesse encostar de novo, fechei os olhos e dormi tanto, que acordei há uma parada de onde deveria saltar.
Pior que tudo isso é o frio que anda fazendo na cidade, ou descobrir que não receberei salário e se eu receber, chegará no fim do mês; ou descobrir que o fim é sempre amargo para todos.
A aula hoje de espanhol foi legal, mas eu acho que falei demais, ri demas, faltou a minha postura de professora. Angústia total.
Sábado rolou sinuca, volto para casa e mais angústia. Domingo acompanhei minha amiga ao zoo e na volta mais angústia.
Vontade de jogar algo na parede!, esconderei meu celular!

sábado, 4 de julho de 2009

Esperar o cúpido

Não entendo porque certo homens mais velhos insistem em querer conquistas ninfetinhas.
Não sou nnfeta, mas não quero ter um homem muito mais velho do que eu.
Também por experiência, não namoro mais ninguém mais novo. E aí acontece de ter homens entre 25 e 30 anos para escolher e em Brasília, homens desta idade, ou estão estudando para concurso, ou passaram em algum concurso e não querem nenhum tipo de envolvimento.
Temos os ex-casados que também querem aproveitar a vida e tem os que até querem algo, mas tem filho e ex-mulher.
E penso que está cada dia mais complicado ter uma pessoa. E com o fim da última relação eu percebi que minha seletividade terá que entrar na maior ação de todas e simplesmente investir em outras coisas.
A pressa de ter algém e o relógio biológico começando a gritar, precisam de um tempo maior de pensamentos mais equilibrados.
Esperar o cúpido.

Levante-se!

Não consigo entender certas coisas da vida e começo a acreditar que sou um ser fora do mundo normal.
Não consigo entender certos tipos de "amigos", certos tipos de amizades enlatadas: você abre, usa e depois joga fora.
E passei a semana pensando nisso, revendo meu papel na sociedade e tentando fazer novas escolhas.
Recomeçar é diário, eu sempre falo isso, mas na pratica é extremamente impossível para mim, porque infelizmente eu me apego facilmente às pessoas e geralmente levo foras extrórdinários.
E fico nessa de tentar, de procurar novos caminhos, de me levantar nas quedas e para mim não é nada simples.
E lá vou eu, mais um fim de semana onde espero realmente por novidades.
O sol, lindo meu Deus!. Convida para uma refelxão,convida para uma nova etapa, para sorrisos e alegrias internas.
Será que é possível?. Não sei como, mas sei que é urgentemente necessário, para mim e para você.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

O medo de perder o importante

Hoje eu vi o quanto tenho medo da morte, do imprevisto e do susto.
Fui com mamãe ao Laboratório. Aproveitei fiz um lanche, comi todos os pães de queijo que teoricamente eram para os pacientes e tomei chocolate quente.
Saí para resolver um problema para meu chefe e minha mãe decidiu que voltaria sozinha para casa, que é há 10 minutos da onde estavamos.
10 minutos depois eu liguei e nada dela atender ao celular. 15 minutos depois de novo e nada. Comecei a ficar em um certo pânico. Em um determinado ponto o meu celular não pega, então assim que saí liguei de novo e nada.
Desespero. Comecei a imaginar que mamys teria caído, ou sido atropelada, ou roubada, ou sei lá, sequestrada!!!! Comecei a suar e a pensar tudo isso estericamente interna.
Depois de quase 40 minutos tentando ela atendeu e explicou que havia deixado o telefone no carro, antes de sair para os exames.
Alívio. Na hora eu quase chorei, de medo, de insegurança, de pensar que algo poderia ter acontecido com ela e eu poderia ter evitado indo com ela até em casa.
E senti que apesar de ter a cabeça fora do lugar, de ser estrambelhada e imatura, o cuidado que tenho com o que eu amo é extremamente verdadeiro e sincero. Senti medo por saber que minha mãe é meu porto seguro e sem ela eu não consigo ir muito longe. Posso ser uma filha diferente dos outros filhos, mas lá no fundo eu sei que o que sentimos uns pelos outros é bem de coração.
E quando eu a abracei na despedida hoje, eu saí muito emocionada e mais uma vez agradeci por ela estar aqui comigo.

O russo que eu não peguei!

Estava com mamãe e lembrei do Andrei. Loiro, 23 anos, segurança da Embaixada do Brasil em Moscou. Comecei a paquerá-lo com 13 anos, mas sempre achei que ele não me daria bola. Aos 14 eu já estava fascinada pelo jeito como ele me tratava e me acompanhava à escola.
Acabei namorando um brasileiro aos 15 anos. Ele ficou muito triste, mas nós sabiámos que eu viria para o Brasil e que namorar estava fora de cogitação. Em meu aniversário me presenteou com uma caixinha russa e escreveu para mim. Nossa despedida foi traumática e confesso que uma das coisas que farei quando voltar à Moscou é procurá-lo.
Tudo porque uma brasileira feia e fedida que se dizia minha amiga, logo depois que eu vim embora foi contar ao meu pai que eu namorava o Andrei, que ela me viu varias vezes agarrada à ele antes de ir para a escola.
E hoje me bateu um arrependimento daqueles. Confessei à mamãe que se eu soubesse que ela inventaria isso eu teria realmente me agarrado com ele. Teria levado a fama com o feito, e certamente teria beijado muito. Mas não, fiquei moscando. E hoje estou chupando os dedos.

Intensificações

Hoje eu tive a conversa desabafo com a pessoa que queria, mas ainda não estou satisfeita não. Falta o olhar, o gestual, falta verficar se tudo que foi dito é de verdade ou apenas letras digitadas sem uma observação, sem o bom senso.
Tive um dia agitado, resolvendo coisas e coisas e ao mesmo tempo uma angústia que não parava de crescer.
Fico com vontade de sair por aí sem rumo, sem olhar para trás, de jogar fora, de resgatar.
Me convenci que toda a minha intensidade tem um custo muito alto para mim. Eu me apaixono, desapaixono, começo, termino, gasto e economizo, rio, choro, tudo de forma muito forte. Quando eu quero, eu quero, quando eu amo, eu amo, quando eu odeio então é de uma fortaleza sem fim. Luto pelo que quero na mesma velocidade com que abandono projetos e amigos e sonhos.
E é assim que recrio minha lama e transmito a sensação de uma constante felicidade que desaparece no pôr do sol e que me assombra na calada da noite.
Escrevo e desabafo, tomo meu chá e aguardo com que intensidade amanhecerei para o próximo passo.

Retrospectiva 2018 - Este ano vai ter sim!!!

Ao contrário do ano passado que eu não estava escrevendo devido à uma promessa, este ano eu resolvi fazer retrospectiva sim. E vai ter lamú...