terça-feira, 22 de julho de 2014

Mais um baby na família.

Bem todo mundo já sabe que este ano me tornei Tia-Avó. Pois é. Já que não sou mãe é isso mesmo, ser Tia ou Tia-Avó é tão gostoso também e eu não abro mão deste cargo.
O fato é que quis o destino que a minha Sobrinha Ratattoulie, brincando de namorar, engravidasse também. Confesso que na hora quase engulo um pastel inteiro e que depois que recebi a notícia tomei duas cervejas em quatro goles. E chorei muito. Mesmo. Pelo susto, pelo medo, pelo amor que sinto por ela e pelo desejo infinito de que ela seja feliz.
O meu interior me disse que ela é louca. Engravidar tão nova? Como meu Deus? Ok, como eu sei, mas é de fato uma notícia que mexeu muito comigo e ainda mexe. 
Só que eu estou muito feliz. Porque ela está feliz. E sei que Deus não dá uma missão dessas sem ter certeza. Ele é muito sábio e percebeu que esse era o momento dela construir a família dela, crescendo, amadurecendo e conquistando seus sonhos. E minha missão é a de sempre: ajudar no que for preciso, deixando ela ter o espaço dela, vivendo este momento do jeito que ela achar correto.
Aprendi na marra que eu não posso viver a vida dela. Claro que como Tia absolutamente coruja, eu gostaria de colocá-la em um potinho e não queria jamais que ela chorasse, sofresse, caísse e se machucasse. Demorei um tempo para entender que ela sempre será minha Princesa, mas agora ela é a minha Princesa adulta, mulher e até admito que aprendi muito com ela nestes últimos anos, porque ela de fato se tornou um referencial para mim, mesmo sendo 8 anos mais nova.
Ratattoulie, eu te amo e estou muito feliz pelo seu baby, pelo seu sorriso de mãe, pela pessoa que você é, pelo amor que você sente pelo seu noivo. Obrigada por me deixar fazer parte de sua vida. Eu sei que nunca fui a melhor Tia. Sei que em muitos momentos, quando você era criança, eu perdi a paciência, mas independente de tudo, sempre te amei, sempre te amarei, sempre te apoiarei, sempre terei em minha vida espaço para que você confie em mim. Te admiro pela sua maneira leve de encarar a vida e você me inspira a ser uma pessoa melhor. Deus não meu deu filhos e muito provavelmente não me dará, mas isso não me entristece, porque eu tenho a você e agora o seu filho ou filha e saiba que estarei sempre aqui para te ajudar. Se precisar que eu ajude a cuidar, faço com o maior prazer do universo. Tenho certeza que você será uma ótima mãe. Seja apenas uma mulher sábia, escute seu coração e qualquer dúvida liga para o Pediatra. Ah e claro, escute os conselhos das avós e da Bisa, não os meus, porque a minha função será só estragar e passear no shopping. Se for menina então, já era.
Fica com Deus! Ah não esqueci do Senhor Paçoca. Certeza de que ele será um ótimo pai. E vocês serão uma linda e feliz família. 
Um beijo com um amor que não cabe no peito da sua Pequena Tia e agora Mini Tia-Avó.

Dando um oi.

Faz algum tempo né? Passar mais de uma semana sem escrever não tem graça. Eu sei que vocês sentem falta. (?)
Por falar em fãs, tá eu nem falei sobre isso,  descobri um dia desses que eu tenho uma super fã em Salvador. Tá super fã é delírio meu, mas quando ela falou que acompanha o blog há anos eu me emocionei. E olha que ele tem apenas 7 anos. Daí nos adicionamos no Facebook e eu estou meio que tentando convencê-la a me receber em sua casa nas férias, que se tudo der certo, acontecem em novembro.
Não tenho muito o que contar. A Copa acabou, o serviço de Voluntariado também e eu estou mais em casa do que no mundo. Nestes últimos 15 dias saí uma vez de casa oficialmente para me divertir. Não conto o dia do jogo da Alemanha com o Brasil porque seria tortura relembrar. A verdade é essa. Estou oficialmente encalhada e isso não necessariamente significa apenas no plano amoroso. Neste dia que saí aí, era uma segunda e eu conheci um jamaicano e um americano very crazy e pasmem: o jamaicano super elogiou o meu inglês. Quase choro.
E assim estou indo. Nada de farras, nada de romance. Fico entre a cozinha, o banheiro e a cama. Faço algumas tarefas domésticas sem entusiasmo, e tem um ano que meu fogão pede socorro, mas quem liga, eu não cozinho mesmo.
Eu sabia que ao me separar a vida não seria colorida, com farras diárias e cheia de álcool, mas do jeito que tá não está fácil. Até tenho um amigo que volta e meia tenta me sequestrar para viver, como ele diz, mas não ando com essa vontade toda de viver não. Pelo menos por enquanto não. Acho até que estou com depressão, mas aí lembro que existem pessoas passando por problemas muito mais sérios, daí começo a ler um livro e esqueço do meu lado humano.
Dias 25 e 26 trabalho e essa esperança de sair de casa nem que seja para ralar, me anima. A semana até passa mais rápido. 
É isso. Nada mudando. Ah sim, minha identidade. Estou naquela fase em que eu preciso ir em vários órgãos mudar novamente de nome, de documentos. Me avisaram para não fazer isso, mas sabe como é: casei amando, apaixonada e acrescentar o nome dele foi a maior prova de amor que eu pude dar. Qué, qué, qué....
Vida que segue.
Não esqueçam de mim.
Love you!


Inspirações pessoais para um casamento meu em algum momento.

Será que eu mudo de ideia, ou Deus, e me caso? Se sim, da-lhe inspirações....

Cabelo curto sempre. 

Pretty short bridal hairdo {Photo by Jodi Miller via Project Wedding}

Vestido curto sempre.

 Ellie--2 Piece, Lace and Cotton Wedding Dress, $365, Leanimal of course.

Sapato fechado e colorido sempre.





Ao ar livre sempre

Photography: Vienna Glenn Photography - viennaglenn.com Floral Design: Florarama - floraramamoderndesign.com Catering + Event Coordination: Mountain Springs Lodge - mtsprings.com  Read More: http://www.stylemepretty.com/2013/06/13/rustic-washington-destination-wedding-from-vienna-glenn-photography/


Bolo de verdade sempre.

Photography: Sara Lynn Photographic - www.saralynnphoto.com  Read More: http://www.stylemepretty.com/2014/07/08/colorful-bohemian-wedding-inspiration/


De segunda à domingo - Vermelho



Stefanel and


, Diesel and


,  and









,  and troen

TREND ALERTS: PANTALONI CULOTTES


,  and Bimba & Lola

Casamento Jeff e Carol - 21/04/2018

Se eu soubesse que 2018 seria tão emocionante e feliz, eu teria reclamado menos do pé na bunda que levei depois do Carnaval.  Pois é. Ass...