terça-feira, 10 de novembro de 2015

O pouco vale muito.

Leio o Chata de Galocha há um tempo e adoro (http://chatadegalocha.com/). E a cada semana ela compartilha textos inspiradores e essa semana ela tocou em um tema que venho refletindo há muito tempo: eu preciso exatamente do quê para viver?

E em um de seus links li este (http://mdemulher.abril.com.br/estilo-de-vida/m-trends/13-estrategias-para-simplificar-a-vida) e ele se encaixou como uma luva ao que eu venho pensando para minha vida e sobre meus projetos para o próximo ano.

De cara estou na fase de não comprar mais uma peça de roupa e me comprometi a pagar todas as minhas dívidas do cartão de crédito e no próximo irei usá-lo apenas para comprar minhas passagens em minhas viagens. Sim, meu objetivo é viajar mais, nem que seja indo no sábado e voltando no domingo, mas eu realmente quero nos próximos anos, investir mais em meus feriados prolongados. E espero que se eu ficar aqui onde estou, ter férias e viajar para mais alguma praia brasileira. Eliminei várias peças doando, irei vender algumas coisas, meu projeto é ter apenas as bolsas que eu já tenho e para 2016 o projeto é ainda mais ousado: nada de sapato ou bolsa. Roupa apenas em último caso. 

Nesse esquema de roupas, parei de ler blogs de moda, e visitar sites de compras. Tenho ido muito ao shopping e meu foco agora é ir apenas para pagar as contas. Já não sou muito ligada nisso de moda né? Sou Secretária e tenho minhas saias, calças e blazeres pretos. Tenho minhas calças jeans para os finais de semana. Para quê mais?

Em casa já eliminei a televisão. Tinha pensado em investir em uma impressora, mas decidi não investir em nada. Nem em outra TV, nem em impressora, nem em nada. Nem fico em casa direito, para quê tudo isso né? E se eu precisar imprimir algo, moro em cima de uma lan-house. 

Tenho meu celular, netflix e a internet. Ponto. E estou com um planejamento de escrever menos no blog, usar muito menos o facebook e demais aplicativos (amém, eu só tenho o Instagram). Quero muito fazer o que li em um blog hoje: escolher um dia da semana para não usar nada de internet. Será que consigo? Irei tentar. Conto para vocês a experiência. 

Eliminei muitas bugigangas em minha casa e pretendo diminuir ainda mais. E peço encarecidamente que não me presenteiem com nada que não seja livro. E se não me presentearem também está ótimo. E não esperem presentes meus que não sejam livros. Se eu não puder te dar um livro, não conte com presente meu ok?

Me comprometi a cortar gastos com salão. Quem me amar será com o cabelo que eu tenho e com as unhas que eu tenho. Vou tentar manter uma base básica e pintar somente em dias de trabalho com casamento. 

Algo que ainda quero manter, até porque nem é algo que eu faço sempre, é sair com os amigos sem medo. Tomar um vinho, almoçar em um restaurante bacana, dançar de vez em quando. Não gasto muito com comida, porque eu não cozinho em casa. Quando almoço fora, coloco realmente a quantidade certa e evito ao máximo o desperdício. Não como carne, todos sabem, e sinto que foi uma das melhores decisões que já tomei na vida. ok, que uma vez ou outra ainda belisco algo, mas não comer alguma carne todos os dias me faz não só economizar, como me sentir parte do cuidado com o mundo. Quero eliminar meu hábitos ruins e quem sabe praticar um esporte. Mas também não quero fazer parte da galera que cultua o corpo não, nem pirar na onda fitness. E se nada disso der certo, sinceramente, não quero me estressar. 

E sim, tenho investido em meu precioso sono. Não tinha o hábito de dormir. Isso faz com que o corpo descanse, a mente viaje e é sempre a melhor forma de evitar um monte de coisa negativa. 

O lance todo para mim é desacelerar. Ir mais devagar. Pensar mais no que realmente preciso. Eu não preciso de muito para ser feliz. Tenho minhas gatinhas, uma família, amigos, um emprego, um hobby que eu amo, saúde... Todo o resto não me define e não me representa. Eu não quero carro, não quero roupa de grife e não me envergonho de morar de aluguel. Não pretendo acumular, nem deixar nada além do que eu sou. Não tenho filhos, não preciso deixar nada para ninguém de herança, então, quero apenas o básico e o meu maior tesouro será conhecer o mundo e sorrir com o coração leve.

Quem quer vir comigo?!! Campanha: elimine o que não te faz bem! Agora!

Beijos e beijos!


10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...