segunda-feira, 14 de março de 2016

15 dias.

Faltam 15 dias para meu aniversário. E confesso que desde sexta estou vivendo um pedaço de um inferno astral. Não estou deixando me abater por isso, mas não foi uma segunda feira que começou animada. 
Tudo bem que sexta eu fiz minha prova escrita do DETRAN, onde precisava acertar pelo menos 28 questões de 40 e acertei 34. Saí tão emocionada que deixei de avisar a algumas pessoas. 
Mas aí resolvi comemorar e pois é, no meio do caminho aprontei uma que nada mais nada menos me fez perder uma amizade. Mais uma. 
E só por isso afirmo que não está sendo fácil, mas é preciso admitir o erro, entregar para Deus e confiar de que nada é em vão. 
No meu caso este episódio serviu para reforçar o meu já fadado assunto sobre permanecer sozinha. 
E a vida segue. Semana intensa, cheirosa, encantadora, porque já estou acostumada a perder amigos. 

Aproveito para desejar ao meu amado Comitê de Secretariado Executivo muito sucesso no evento de logo mais. Muito feliz em poder participar deste projeto, de poder exercitar meu lado realmente profissional. Agradeço por tudo e peço a Deus que eu consiga ir ao próximo. 


Um beijo =)

segunda-feira, 7 de março de 2016

Feliz dia das Mulheres - De novo!

Eu sei que hoje é um dia especial! Na Rússia é até feriado! Acho bem chique. Mas eu continuo batendo na tecla de que essas datas comerciais ou forçadas são chatas.
E digo forçada, porque de que adianta comemorar o dia das mulheres quando estamos vivendo um momento em que até isso é um problema?
E eu estou bem cansada dos julgamentos, e me incluo nessa. Estou cansada de criar a mulher perfeita, principalmente dentro do meu universo de secretárias, quando não existe isso de mulher ideal, muito menos de mulher perfeita.
Cansada do tem que ser magra, bumbum na nuca, Botox, roupas de grife, estilos em acordo com o que dizem ali no blog daquela blogueira mega fmosa, tranquilidade, super mãe, melhor na cama, rica, com apartamento, carro, filhos, se não biológicos, adotivos, gato, cachorro, inglês, francês, mestrado, doutorado, viagem a Paris....
Está na hora de cada uma de nos nos respeitarmos pelo que somos, por quem somos, independente de quem somos de fato. Pelo que construímos efetivamente. Pela nossa responsabilidade com nossos sonhos, com nossos projetos, por menores que sejam. Está na hora de parar de julgar a fulana que tem 05 filhos em tempos de ZIKA, a beltrana que usa o cabelo rosa mas que trabalha como advogada. E a que engordou? ah somos craques em julgar os pneus alheios. E a que optou por cuidar das crianças? Ou a que escolheu não ter filhos? Como assim ela não quer ter filhos? Ah e ela vive estudando. Vive viajando. Ah ela nunca namora, deve ser uma quenga... ah ela macumbeira. Evangélica e bebe? Ela é negra e usa cabelos loiros. Ah ela é branca e toda tatuada. E ela tem a língua enrolada e dá palestra? Ah ela não é concursada. Ah ela bebe, fuma, fala palavrão. Ela costura? Quem vive de arte neste país? Como assim largou a faculdade para casar? Como assim largou o casamento para viajar? Ela tem o cabelo curtinho, só pode ser sapatão. Ela usa neon, fora de moda. E All Star? Tão juvenil. Ela largou o marido para casar com outra mulher, que vadia! Nossa tão nova e já casada? Nossa tão velha e ainda solteira? E aquela velha namorando o novinho? E aquela novinha namorando um velho, só pode ser dinheiro. E por aí vai...
Se eu ficar o dia todo aqui terei mil motivos de preconceito, julgamento e críticas destrutivas para exemplificar como perdemos a noção. Em tempos de internet tudo é motivo de sabedoria indecente. De desrespeito. De bobagens sem fim. De gente escrotizando a mulher só porque ou ela tem uma vida sexual ativa ou porque ela escolheu meditar no Imalaia. Já não sabemos ao certo o que podemos ser para que haja um encaixe perfeito nos padrões sociais. 
E a mulher de hoje não é apenas mais um gênero. Ela é o que há de mais sagrado. É essa figura, tendo ela nascido mulher ou se transformando em uma ao longo dos tempos, que mantem toda uma economia e uma cultura vivos. São essas mães que sustentam uma casa, mães que criam seus filhos sozinhas; mulheres que estudam e trabalham e ainda precisam estar magras, sorridentes e alto astral, mesmo que a jornada, em muitos e muitos casos ultrapasse as 24 horas do dia. 
Eu rezo por cada mulher que convive comigo. E peço perdão pelas vezes no qual fui extremamente nojenta criticando seja lá que mulher for. Não tenho esse direito. E me prometi ser a mulher que eu quiser, respeitando ao próximo, às leis e principalmente ao que eu tenho de mais valioso: meu coração. 
Não quero me igualar aos homens. Apenas quero ser respeitada. E sei que todas nós queremos a mesma coisa. 



Feliz dia. Amanhã também. 

Beijos e beijos!

21 dias

Em 21 dias eu completo 32 anos. O mais legal? Não parecer. E mesmo não sendo absolutamente nada cuidadosa com a minha saúde, tenho muito orgulho de quase ter essa idade.
Ontem inclusive, em uma conversa com um irmão meu, ele comentou que com 40, eu deverei ter cara de 32? hahah Achei muito interessante a colocação dele e espero que sim. O objetivo anual, embora nunca cumprido, por enquanto, é o de cuidar da saúde, mas assim, não vou enlouquecer não. Aos poucos. Sem medo. 
A sexta passada foi um tanto quanto doída. A mãe da minha amiga linda que eu carinhosamente chamo aqui no blog de Biriteira, morreu. E a morte não é algo com o qual nos acostumamos, ainda mais conhecendo a pessoa e ainda mais tendo pais na mesma idade dela. E o que nos resta é uma oração diária pela alma dela, pelo conforto dos que ficam e pela recuperação do sossego. Fui ao velório e me comportei.
Me comportei porque eu não vou em nada do tipo. Sempre fico mal, me dá dor de barriga, eu fico ansiosa. Mas estive lá por vários motivos, entre eles, a amizade paternal que nutro pela família. Sou dessas. E mesmo tendo sido rápido, foi de coração e a Tia viu que nos fomos. Isso é o que importa.
No sábado à noite trabalhei em mais um casamento. E que casamento gente! Cerimônia leve, sem muito frufru, Padre fofo, fez noivos e convidados rirem, mesmo com dor de cabeça. E a festa foi um caso à parte. Animada do começo ao fim, com altas coisas diferentes, mas que não ficou papagaiado, como dizem alguns. Adorei a ideia de uma tequilera no corte da gravata e uns dançarinos fantasiados interagindo com os convidados na pista de dança. E o noivos? Casal maravilhoso. Ao final da festa recebemos tantos elogios que me emocionei. É gostoso demais ver sonhos se realizando de forma tão plena. Profissionalismo é a base da Eficace Cerimonial. Que orgulho de poder fazer parte disso. Gratidão define!
E entre o trabalho e outro passei quase que o fim de semana todo com meus pais, conversando, tomando uma cervejinha, comendo (cara comi muito neste fim de semana, Jesus!!) e até cochilando um pouco, tendo em vista que cheguei às 05:00 em casa no domingo. 
E a semana começa bem chuvosa, bem estranha profissionalmente falando. Segunda que vem tem um evento do Comitê e estou muito triste porque não poderei participar. Mas estou aqui focada tentando ajudar no que me é possível. Não é fácil conciliar tantas atividades, mas confesso que não me vejo sendo outra pessoa.

E vamo que vamo que o país está passando por um momento delicado, mas não podemos nem desistir, nem parar. E que Deus nos abençoe!



sexta-feira, 4 de março de 2016

Meu Mini Wedding

E eu posso até não me casar novamente, mas tenho meu lado romântico e sempre irei sonhar com um casamento leve, discreto, para poucos e sim, com tudo que tenho direito: ser feliz!



Eu Karla não sou fã de mesa de bolo, de mesa de doces e afins. E olhei essa foto e me apaixonei. No meu caso, o bolo seria de chocolate. Fato! 

casamento_fernanda_fabio_aline_lelles_DECOR-9


Mas não sou tão malvada. No caso de ter uma mesa de doces, gostei desta. Adoro esse amarelo e toda a delicadeza que ele transmite.



Todo mundo que me conhece sabe que eu não sou nada fã de flores. Mas elas são lindas. Não é isso. O lance não é a flor em si. O lance todo é que o gasto com elas me deixa bem triste e justamente porque vejo o tanto da decoração que vai para o lixo. Mas é fato que elas alegram e é por isso que sou à favor de que elas sejam moderadamente utilizadas de forma que, e sou bem taxativa nisso, elas virem lembrança. Olha que bacana! 


bright country dahlia and mini sunflower vintage vase centerpieces

O mesmo eu digo com relação à cerimônia. Acho que se eu fosse me casar na Igreja, eu focaria no altar e tentaria aproveitar ao máximo a Igreja em si, deixando o espaço dizer por si só sua beleza. em caso de casamento ao ar livre, aí sim que eu aproveitaria para utilizar um decoração leve, harmoniosa e mais ou menos florida. 



Gosto dessas plaquinhas. Acho que podem ser uma maneira bacana de decorar sem gastar muito. E ainda servem para decorar a casa do casal após a festa.




Ultimamente tenho achado muito interessante o presente dos padrinhos. Embora ache que uma garrafa, taças e afins não seriam minhas opções de presente. Eu optaria por algo bem usável e certeza que esse tipo de embrulho me atrai muito.


Bem, no ritmo que estou devo me casar em 2050. Mas tem problema não, gosto de sonhar. Custa bem barato né? E dá uma animada na alma!

Bom fim de semana!

quarta-feira, 2 de março de 2016

TCC. Direção. MJ

É quarta-feira, mas eu queria muito que fosse já o último dia do ano.
Semana intensa. 
Começou com a saída do Ministro da Justiça e claro, sua substituição. E por mais que acreditemos que não afeta, afeta sim, e muito.
Na mesma segunda, palestrei no Instituto Federal de Brasília sobre o Comitê de Secretariado Executivo do Distrito Federal.  Era a Aula Magna do curso de Tecnólogo em Secretariado Executivo. Foi muito bom não só porque voltei a falar em público depois de um hiato de mais de um ano, mas porque precisei falar muito pouco sobre mim. 
Ontem, foi O Dia!!! Imagina que recebo uma ligação com a notícia de que já haviam marcado minha prova teórica do curso de direção. Euforia total!! No fim do dia, com a orientação de uma amiga, descubro que tirei 91 no TCC.
Gente, vocês não imaginam o quanto chorei. Chorei de alívio, de desespero, de angústia e de emoção. Foi incrível perceber que apesar dos pesares eu havia conseguido. Agradeci imensamente a Deus e à minha amiga que me ajudou massivamente na concretização deste projeto. Sem ela, mesmo, isso nunca teria acontecido. Posso até ter perdido a amizade dela, mas quero que ela saiba que sempre lhe serei grata infinitamente pelo apoio e pela oportunidade de crescimento. Agora é preparar a apresentação, que deve acontecer ali perto do dia 06/04.
E para terminar meu dia insano, infelizmente recebi também uma notícia que me deixou mega triste: uma amiga linda separou. E separação é um tema que eu nunca saberei lidar, embora tenha aprendido que é a solução para muita tristeza por aí. Mas quando a gente compartilha, vivencia o relacionamento da amiga, esse tipo de notícia sempre machuca e tira as esperanças de que o amor é construção de paz. No fundo, não. E é aí que o coração sofre demais.
E para fechar meu desabafo, ouvi hoje que sou muito angustiada antecipadamente. Pois é, achei muito forte o jeito que a pessoa falou. O gestual de uma pessoa pode ser uma ferramenta destruidora. A minha sorte? Conseguir sorrir em meio a tantas palavras negativas direcionadas à minha pessoa. Ouvir que além de tudo eu sou ingrata (porque ouvi isso ontem também), me dá vontade de desistir. Mas aí né? Lembro que bem ou mal, ainda sou uma pessoa que tem amigos e pessoas que se interessam até mesmo pelo meu lado sombrio.
E que venha o restinho da semana. Porque a vida segue e segue intensa.

Beijos e beijos!

terça-feira, 1 de março de 2016

Looks de segunda a sexta: estagiárias

Uma coisa que sempre me incomodou ao longo dos meus 10 anos como Secretária é o fato de que ser estagiária é sinônimo de vestimentas esquisitas. Eu já atuei no STJ e atualmente estou no MJ e sempre me assusto com o excesso de leggins, vestidos muito curtos, barriga ou costas de fora, rasteiras ou all star. Só para citar alguns exemplos. 
Não digo que estagiária tenha que andar elegante e tudo, mas tem que ter o bom senso e seguir uma linha mais confortável, afinal muitas saem do trabalho direto para a aula ou vice e versa. Só que a linha confortável não precisa ser: estou indo para casa.
Vamos ver algumas inspirações bacanas?



A minha dica principal é: tenha seu estilo, acho isso importante, mas mantenha-o adequado ao seu ambiente de trabalho, evitando excessos. Conheça seu ambiente, saiba o que você tem em casa que se encaixa no seu padrão lá dentro.


E como sempre, eu apresento opções que quase todas as pessoas tem em casa. Sou do estilo básico, até por conta do Secretariado. Mas não deixe de usar suas cores, seus colares, não é isso que estou dizendo. Apenas tenha a sensibilidade. Afinal e infelizmente, o mundo corporativo é cruel e exigente.







10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...