terça-feira, 20 de setembro de 2016

Eu sou

É muito, mas muito difícil ser eu. Tem dias que eu sinto uma pontinha de inveja do outro. Algumas pessoas parece que vomitam borboletas né? Não é uma inveja com desejos negativos não, esclareço. Mas tenho para mim que eu nunca nesta vida serei o que os livros de auto ajuda tanto declaram ser possível ser. 
Mas eu sou eu. E por mais que essa frase pareça bizarra, é isso que eu preciso admitir para mim. Nunca poderei ser como àquela pessoa que eu considero a mais feliz, bonita por dentro e por fora, a mais amada, a mais do melhor. 
Esta semana, que começou cheia de pequenos problemas, me fez repensar um monte de coisas. Detalhe, hoje ainda é terça e eu já considero que vivi uma semana de stress. Estou aqui repensando meus defeitos, meus muitos pontos negativos e percebo que o caminho para a mudança é ainda muito longo. 
Tudo que eu realmente quero é me sentir em paz. E transmitir paz. Não dar muita opinião na vida alheia, principalmente se a vida alheia não me pedir opinião. Quero muito, mas muito mesmo, mudar minha postura com relação ao tamanho da minha língua. Parar de criticar o outro, porque né? Como é possível alguém como eu criticar alguém. Quero ouvir mais do que balbuciar pensamentos desconexos que geram muita fofoca e desavenças. Espero com muita fé que eu consiga ser eu mesma em uma versão muito melhorada. 
Alguém me disse ontem umas verdades sobre mim que me fizeram arrepiar os cabelos existentes no corpo inteiro. E confesso que foi duro. Ouvir que eu sou afoita demais e que eu tenho uma necessidade absurda de ser aceita. Ouvir que eu preciso aprender a dizer não, a viver sozinha, a ter a minha própria vontade, sem esperar que o outro me dê algo. 
Quero continuar sempre na tentativa diária de ser uma pessoa cada vez melhor.  Quero sempre me manter alegre para enfrentar alguns problemas. Quero continuar lutando pelo que eu acredito, pelo que eu penso de melhor sobre o outro, porque eu sempre penso o melhor do outro. Quero continuar me sentindo livre, mesmo a vida sendo uma leve prisão. Quero continuar me relacionando com as pessoas sempre acreditando que isso é de verdade, seja no lado profissional quanto no pessoal. Quero continuar tentando ajudar, dar o meu melhor e sempre construindo pontes. E quero muito aprender a ter mais calma para escutar meu coração, minha respiração e a voz de Deus me guiando. 
Para hoje eu só quero conseguir me reconstruir. Me recompor diante de uma segunda-feira que se eu pudesse eu nunca me lembraria dela. Mas ela aconteceu e existiu e eu não posso mudar o ontem. O que eu posso fazer é mentalizar o que for de melhor para mim e para todos os que me amam, seja de perto ou à distância, para que todos tenhamos momentos incríveis, verdadeiros, honestos e sem atritos que gerem afastamento e dor.
Que tudo seja de verdade. Puro e sincero. 

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...