quarta-feira, 26 de novembro de 2014

E eu vi o Heitor

Sei que o blog está meio abandonado, mas não me esqueci dele não. Estava apenas esperando um grande acontecimento para voltar a escrever. 
No último mês aliás, várias coisas aconteceram, mas essas coisas são mínimas diante do milagre que eu presenciei hoje. O último texto foi sobre o Heitor da minha amiga Crisca, hoje é sobre o Heitor da Sobrinha Ratattoulie. Estou sem palavras até para descrever o que senti hoje, vendo pelo ultrassom o milagre da vida. 
Me senti muito especial quando minha sobrinha me convidou para ir com ela hoje. Me senti boba, besta, feliz e grata pela chance que é única. Foi lindo ouvir o coraçãozinho agitado dele, saber que ele está saudável, grande, ativo e já encaixado, quase pronto para vir ao mundo. Agora é esperar, esperar seu momento, seu dia, sua hora de mostrar seu rostinho, seu sorriso, sua beleza e tudo de lindo e especial que ele é. Só não chorei. Achei que fosse me desesperar de emoção. Mas acho que Heitor é tão tranquilo e seguro já no ventre, que me senti madura para viver o momento sem drama.
E eu só queria mesmo agradecer à Sobrinha Ratattoulie e seu noivo pela oportunidade de poder acompanhar, ainda que não muito de perto, o desenvolvimento de toda a história deles e a construção de sua família. Quero que eles saibam que podem contar comigo, mesmo que não financeiramente, mas de coração, de alma, de conversa, de conselho ou só de ouvir mesmo. E desejo que Deus cuide de cada minuto da vida deles e que cuide do nosso Heitor, para que ele venha com muita saúde e tenha uma vida maravilhosa e seja um rapaz do bem sempre.
Um beijo meninos e sejam felizes. Continuem aliás exatamente leves como estão. Tudo vai dar certo. 
Amo vocês!

Quando é preciso acreditar em si

Há um ano eu conheceria uma pessoa que mudaria para sempre a relação que eu tenho comigo mesma. E que me fez entender o que é atravessar um...