segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Saia Midi de segunda à sexta

Cada dia mais apaixonada pelo estilo e acho que anda combinando bastante com essa minha nova fase de vida, mais elegante novamente.

A classic combination of a fitted skirt and white button down works everywhere from work to a lunch with your girls.


Zara Nude Pink Coated Pleated Midi Skirt by



Onça + saia midi



I love this whole outfit: striped top, full midi skirt, tasseled shoes and glittery necklace!



The Midi Skirt





quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Eu não gosto de cinema

Então que o tempo está passando e claro, sinto que encalhei. E quando eu digo encalhar, é mais para que as pessoas digam: ah mas você é tão legal!! Ah mas tenha calma, o que é seu vai aparecer!.
Olha, obrigada pelo consolo, mas no ritmo que está indo, o que é meu ou já partiu dessa para melhor, ou ainda está sendo processado, o que sugere que não, eu não terei o que é meu, porque não terei mais saco, e eu já não tenho, nem idade.
O fato é que estou bem cansada de procurar o príncipe encantado. Também não suporto mais encontros casuais. E cansada de contar toda a minha vida para alguém que no fim ou vai reclamar que meu pé é feio, ou vai reclamar que eu não recebo ninguém em meu ap, porque né? Pagar uma das contas que aparecem no mês ninguém quer. E não dá mais para ser donzela e se eu me comporto de forma livre falam que sou p.u.t.a.
Olha, eu só sei que feliz é a Susaninha que com a idade que tem e o dinheiro que tem, pega os caras que quiser e todo mundo, ou quase todo mundo acha fofo. Eu acho massa, mas aí lembro de uma singela figura que me disse, logo antes de eu separar, que era melhor enquanto eu estava nova porque eu não sabia se viveria para ser uma Susana Vieira. Sábias palavras. Ou não. 
E sigo. Trabalhando bastante e continuando pobre. E no meio do caminho cortando pelo menos 20 rapazes do whatsapp que me cansaram a mente. E tirando do face metade dos colegas e das colegas, que em nada me acrescentam e que eu sei que não tenho nada a oferecer. E encalhada. E sabe? Me sinto mais leve, mais independente e mais cansada, sim, porque tenho focado toda essa energia em me dedicar ao que de fato não me dá dor de cabeça e paga as minhas contas. 
Tenho claro, uma enorme esperança de encontrar um cara legal, que curta um rock, porque não ando mais com o pique de dançar o tchan; um cara que goste de gatos, porque sorry, se não for assim, não tem visita, nem de um lado, nem de outro, porque as minhas roupas são cheias de pelos de gatas manhosas; que não precise me surpreender me levando ao cinema. Preciso admitir isso de uma vez: não gosto de cinema, muito menos para um primeiro encontro, segundo, seja lá o que for. Conto nos dedos as vezes que vou ao cinema no ano, e quando vou, ou é em grupo ou com alguma amiga especial. Não me convide para assistir a um filminho gata!, achando que eu vou te achar o cara mais fofo do mundo. Não. Eu te acho um chato. 
E para fechar: eu bebo cerveja, falo palavrão, não sou fitness, não frequento a igreja, sou impaciente e divorciada sem filhos. Se for mesmo para ser, que o seja. Se não, passa direto sem olhar para os lados.  Combinado?
Beijos!

terça-feira, 25 de agosto de 2015

E o dia em que eu parei o metrô de Brasília

Cansada de reclamar da vida e querendo um pouco de diversão. 
Só isso. E o título da postagem nada tem a ver com a minha beleza natural e avassaladora. 
Aconteceu algo mito bizarro ontem: segunda feira, 25 de agosto de 2015. 
Inteligente como sou, jogando o único jogo que sei jogar no meu celular, que parece um jogo que eu gostava de jogar mas é mega genérico, resolvo mudar a bolsa de lugar. O anel que nunca tiro do meu dedão, resolve o quê? Cair nos trilhos do trem minha gente!!! Juro que na hora quase me jogo na frente de um trem. Ah mas não estava passando um. Mas um cara ao meu lado quase faz isso, mas não fez, graças a Deus. Fiz a fina e disse que deixaria para lá. Mas aí lembrei o valor e quase subo as escadas correndo para verificar se eles poderiam me devolver o anel no caso da galera encontrá-lo. Mas aí que uma alma caridosa faz o quê? Não não, vamos procurar agora. Já amei essa criatura porque né? Não deixa nada para depois, muito eu!!!
O fato é que 06 pessoas se mobilizaram, entre elas meu querido Marcone, que já virou querido, porque ele matou umas 5 baratas e mexeu no esgoto mais nojento ever de todos do mundo, tudo para salvar meu anel, que para os efeitos definidos era uma aliança e graças a Deus tem cara de aliança.
Outras pessoas ajudaram, todos com uma cara super preocupada e eu já ficando com vergonha. Quase desistindo, resolvi refazer o trajeto do anel e falei, olha aqui e sim, ele o encontrou!! Quase choro de emoção e de tão vermelha que eu estava enquanto parei o metrô de Brasília por causa de um anel. Que ok, para mim é o anel que acompanha toda a minha vida nos últimos 2 anos, acho até que não o tirei nem para o casamento da Amiga TCC. 
Conclusão: preciso ter mais cuidado na hora de tirar a bolsa do ombro. Mudar o anel de dedo, para que ele não resolva mais passear por aí, muito menos em esgotos e sério, ainda tem gente massa neste mundo né? Adoro!! Fiquei muito feliz e agradecida pela generosidade e paciência do Marcone e a turma do Metrô. Estou querendo ir lá dar um abraço nele, porque ele não quis me cumprimentar porque né? Ele é um fofo e estava com a mão suja e não quis me sujar. Ou apenas estava puto comigo por ter feito ele passar por isso. Mas Deus o abençoe. Simples.
Viu gente? Nem só de sofrimento eu vivo oras. Dia desses revendo meus textos pensei: caracoles, eu estou insuportável. Vou mudar. Prometo. 
Beijos e beijos. 

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Eu não me arrependo.

E hoje foi um daqueles dias em que eu teria tido coragem de largar tudo. Teria. Mas não tive. No fundo, lá no fundo, em nome do que acredito, pedi a Deus que me segurasse e não me deixasse realizar nenhuma das minhas loucuras arianas. E eu não decidi nada muito intenso, apenas ajustei algumas coisas, à espera de que o quê me incomoda passe e acabe logo. Já. Porque só para lembrar, eu sou ariana, é já mencionei isso e o que não é para ontem, não me agrada. 
A verdade verdadeira é que eu decidi radicalizar minha vida tantas vezes, e confesso de coração que em muitos casos eu não pensei muito. Atualmente estou assim, moldada por algo que não pensei muito bem nas consequências. Quem conversa comigo quase todos dias tipo a Amiga Ex-Noiva, sabe do que eu estou falando.
E eu reclamo para caramba. Reclamo que a vida tá uma droga, que eu estou cansada, que eu não me apaixono, que eu não ando tendo vida social, amorosa, familiar... vida. Ando correndo e correndo e dormindo. E as vezes, saio sim, claro, mas em uma hora estou bocejando e aí volto a reclamar que a vida anda uma bosta e que... e que eu só preciso esperar.
Aí me vem isso. Esperar. Eu escolhi o caminho e Deus está me guiando. Ele me fez escolher o caminho. Então eu preciso esperar. Eu sempre irei me desesperar, porque eu sou assim e eu agirei loucamente porque eu odeio me sentir sufocada (quem gosta né?)
E vou esperar. Não de braços cruzados, porque esperar assim me dá azia. Mas cara, não é possível que eu seja tão burra que não alcançarei tudo que almejo. E vou esperar. 
Só para não perder o ritmo: beijos à umas 4 ou 5 pessoas que diariamente me aguentam. Uma em especial todos os dias, pelo gtalk, me ensina isso: esperar. E ela me disse: você escolheu. Aguenta. Ela diz por mal? Ela diz porque é a verdade né? Obrigada gente! em breve isso passa. Oremos!
E obrigada. E como o título do post diz: não me arrependo de nada, mas ah me deixa reclamar um pouco vai. Faz um benzinho ao coração. 
Beijos!

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

E a vida continua.

Há 4 anos, eu me casava. E me lembro de cada detalhe. Parece martírio, mas gosto de relembrar. Lembro da sensação gostosa de estar com as pessoas mais especiais me casando por amor. 
E me casei convicta de que seria para sempre. Ninguém casa querendo separar. Pelo menos depois de 3 anos trabalhando com casamentos, essa percepção é natural. Mas Deus quis por algum motivo, que não fosse para sempre.
Tem sido muito difícil para mim lidar com tudo. Não tenho conseguido me conectar com ninguém, como me conectei com o meu ex. Tenho tentado. Já tentei dar uma oportunidade ou mais ao meu coração de recomeçar. Mas não tem dado muito certo. Não tenho tido mais a vontade de ter uma pessoa todos os dias. Amar então! Ah aí é outra história.
Eu nunca me arrependi de fato de ter me separado. Bate uma nostalgia vez ou outra, mas nada que me faça sentir pena de mim. Acredito muito que eu tive uma missão na vida do meu ex. E tenho certeza da missão dele na minha vida.
Hoje eu não me envolvo profundamente. Por medo, mas muito mais por saber o quão complicado é a vida à dois. A vida de batalhar juntos, de sustentar sentimentos, a paixão, o fogo. Fora os afazeres domésticos e as contas. E isso eu não quero de fato mais. Pode ser que eu encontre tudo isso de novo? Pode. Mas não quero. 
Quero algo leve, sem amarras, sem o dia a dia exaustivo. Amo chegar em casa, ver minhas Meninas e ter a minha liberdade de ir e vir. De acordar na hora que eu quiser, descabelada, com bafo, sem medo. Não  ter que lavar, passar, cozinhar. De não ter que planejar por dois, sorrir por dois. E principalmente, não quero ter que comemorar várias datas. Já tenho uma família numerosa e muitos compromissos para cuidar. E não quero neste momento que ninguém se encaixe no meu padrão de vida, nem quero ter que me adaptar ao estilo de vida do outro. 
Espero encontrar alguém bacana. Mas que este alguém não me perturbe, não me canse a beleza. Que não exija muito de mim, mas que deseje apenas ser feliz, de uma forma diferente do comum. 
Talvez eu queira de mais ou ainda não saiba o que quero. Não tem problema, apesar dos pesares, tenho realmente me sentido bem como estou. E de fato o que mais me importa é ter saúde e me divertir. Já batalho demais nesta vida. 

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Um texto mais leve e sincero.

À pedidos internos decidi deletar meus dois posts de hoje. Um estava mais confuso do que eu e o segundo muito irritado. E eu me preocupo com a minha imagem, porque eu sei que sendo quem sou, sou exemplo para muitas pessoas. E daí que não me custa nada ser eu sem ofender, sem me mostrar tão não eu em alguns momentos.

Termino mais um dia que foi extremamente cansativo, por isso postagens tão agressivas e sem nexo. A verdade é que tenho me esforçado para não perder o foco e tenho pedido muito à Deus sabedoria de gente adulta, madura e honesta com meus sentimentos mais profundos.

Agradeço neste momento à cada pessoa que nas últimas semanas tem estado tão pacientemente ao meu lado e que tem acompanhado toda essa mudança profissional sem me mandar para o mundo fora da Terra. Que tem me feito acreditar que sou capaz de vencer. E principalmente à Deus que tem me dado uma fé muito intensa, que tem me guiado e me orientado em seu silêncio para que cada segundo seja vivido de forma a não desistir jamais de ser quem quero ser.

E de quebra quero dizer que eu tentei sair da solidão, mas que sinceramente, eu tenho preferido pequenas doses de alegria e voltar para casa, para minhas meninas e estarmos somente nós 3, tem sido a melhor parte do meu dia. 

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...