quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Ontem alguém me disse que estou transparecendo muita maturidade.
Há um mês eu tomei uma grande decisão e fui até o final com ela.
Passei anos planejando isso, vendo o que seria bom o que não seria.
Não é fácil criar a maturidade que várias pessoas esperam que você tenha.
Muita gente aposta em mim e confia de que serei uma grande mulher.
Não sei se de fato conseguirei agradar metade dos que me amam, mas sou capaz de apostar que pelo menos me agradar eu conseguirei.
O pensamento segue um pouco desconexo. Os sonhos se misturam a uma dor, que camuflada em meu contagiante sorriso, transforma meus dias em uma constante batalha interna e moral.
Antes de tudo, quero aprender a me valorizar de tal forma, que nenhuma critica me destrua, nenhuma marca do passado me tire do caminho do futuro.
Futuro esse que hoje certamente não é algo previsível, mas aceitável e desejável.
Parece pobre, mas eu venho para o trabalho escutando música em um discman.
Mas eu faço qualquer negócio para não ter que ouvir as conversas idiotas no caminho para o trabalho.
Não entendo como tão cedo as pessoas conseguem pensar e falar tanta bobagem
Já não aguento mais essa rotina cansativa, mas não me resta outra opção se não sobreviver.
Ontem passei algum tempo no mas conversando com um amigo de São Paulo. Ri muito. Ele é esécial!.
Hoje não tenho aula com meus alunos de espanhol e isso me deixa um pouco tristinha, pois eles já são tão importantes, que não me vejo sem eles. Mas é por uma boa causa. Duas das alunas terão que participar daquelas palestras super produtivas que existem em faculdade. Tomara que seja uma grande noite para elas.

Eu sigo, com a incerteza, coma desconfiança de que a vida cobrará algo mais na frente de mim.
Sonhei que era uma nuvem. E que ia embora.................

Um lindo dia!

Semana 01 de 2018 - Insegurança

E chegamos finalmente em 2018. Meu réveillon foi muito bom. Tive uma crise interna quando cheguei na festa, meio que me achei feia (sim, é ...