segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Uma carta para minha mãe

Hoje é seu aniversário e estamos longe uma da outra. Eu queria estar aí com a senhora, não só por ser praia e a família quase toda estar junta, mas porque orgulhosamente é o dia em que a senhora completa 70 anos.
Eu acho isso o máximo sabe? Quero poder chegar nessa idade tão jovial e alegre quanto a senhora. A senhora é inspiração para muitas pessoas, em especial para mim, por milhões de motivos.
Entre os vários motivos de admirá-la estão o fato de enfrentar a vida de forma tão confiante e olha que eu a vi passando por poucas e boas ao longo desses nossos 28 anos juntas. Boa parte de seus desafios estivemos juntas: 4 anos na Argentina, 4 anos em Moscou. A vi chorar muito com algumas perdas e algumas alegrias. O nascimento dos netos, enquanto estávamos longe, sempre foi motivo de festas ao longo do fim de semana inteiro! Aliás, como tê-la em festas é bom né? Costumo dizer que não aguento tanta agitação no nível que a senhora aguenta.
E a admiro por não não se calar, não se sufocar em dor ou desânimo. Por desafiar o tempo, ser a frente dele, por não ficar ali esperando a vida passar, a senhora segura na corda e vai. E desta forma encanta, anima, fogueteia por onde passa, sorri um sorriso que é ouvido há quilômetros. Ah como adoro sua risada!
Sei mamãe que nem sempre fui a filha ideal, que já lhe dei trabalho e preocupação. Na verdade ainda sou motivo de preocupação e muitos diálogos de relacionamento, mas é bom saber que ainda sendo quem sou, posso ouvir seus conselhos e broncas, que são na verdade orientações e sua forma de me mostrar o quanto me ama.
Dia desses estava lendo aquele diário que a senhora escreveu quando me adotou, lembra dele? E fico pensando no quanto seu coração se alegrou com a minha chegada à família. Alegria essa que eu sinto até hoje, que eu agradeço por toda uma vida e todo gesto que eu lhe ofereça será pouco para demonstrar exatamente que eu a amo muito e que independente das nossas diferenças, eu estarei sempre aqui, de forma meio lenta mas não ineficiente, para ajudar. 
Agradeço a Deus pela sua saúde, pelo seu entusiasmo, pela sua coragem, dedicação à família, ao seu esposo, à vida, aos amigos, aos seus sonhos. E peço também que enquanto vida a senhora tiver, que eu possa estar ao seu lado, possa ajudar, contribuir e lhe dar orgulho.
Aproveito para agradecer por ter tido aquela conversa séria comigo no Natal. Chorei muito quando cheguei em casa, e ainda choro. Porque se tem algo que eu não quero nesta minha vida é perder a minha família, começando pela senhora, por minhas atitudes que envergonham. Para 2016 eu tenho como meta ser uma pessoa adulta, e quero que saiba que me dedicarei ao máximo pelo que a senhora sempre me pediu: por viver de forma correta e honesta.

Um beijo minha querida mãe. Eu poderia passar algumas horas lhe escrevendo. Obrigada por existir, obrigada por ser minha mãe e amiga. Obrigada por tudo!

Te amo! Felicidades hoje e todos os dias. 





10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...