segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Fevereiro - o mês da decoração no Bolshaia.

Mês passado falei de vários looks para o verão, que aliás em Brasília só choveu.
Este mês, o mês do Carnaval, vamos falar de algo que eu amo: decoração. E como sempre, e ainda mais neste ano, continuo optando por me inspirar no minimalismo, em detalhes bem específicos e cada vez mais dizendo não ao acúmulo de coisas. 
Mais um ano do menos é mais!












Fevereiro chegou e janeiro se foi de forma emocionante

Caracas, fevereiro chegou e chegou muito feliz, colorido, bem verão. Mas janeiro terminou bem estranho e cansativo para mim.
Sábado rolou um casamento top! Trabalhei durante o dia, pois sabia que domingo seria pesado, afinal, prova do MRE. Eu já estava cansada, porque só semana passada consegui melhorar do dente, embora ainda sinta que estou com alguns mini buracos na gengiva, resultado da cirurgia. Tipo, preciso limpar, escovar e rezar 6 vezes ao dia agora.
E domingo chegou. Acordei as 05:30, me arrumei e sem esperança de conseguir tomar café, parti. Mas a padaria estava aberta, eram 06:10. Comprei meu café, um pão e saí. Na minha cabeça a prova era em um lugar e eu estava tranquila porque seria perto do Pátio Brasil. Mas resolvi conferir e vi que não. A prova era em um lugar bem diferente, na UNIEURO. Pernas dormentes, saio mais apressada, porque aí eu tive medo de não passar nenhum ônibus. E não é que chego na parada, qual o primeiro ônibus?
Sei que sou abençoada, mas essa do ônibus foi emocionante. Comigo vinha uma moça que falava mais do que eu, ou seja, só do ônibus ter me livrado dela, porque né? Não gosto de quem fala mais do que eu e o sol nem raiava.
Cheguei 53 minutos antes da prova. As 08:00 começou, pontualmente, fui até as 11:00. Saio para almoçar uma galinhada, porque ou era isso ou era hambúrguer, e não tinha como sair para outro lugar porque a universidade fica no meio do nada, perto da estação de tratamento de esgoto (lindo!). Voltei às 13:40, prova começou às 14:00 e as 16:00 estava tomando um ar puro.
Vou passar? Não. Fato. Até fui bem, mas fiz uma cagada na redação, em português, pasmem! Mas não me desesperei não. Não digo que saí feliz e com o mantra: valeu pela participação. Cagalho nenhum.  Sai p da vida, xingando minha quarta geração de bisnetos que não terei. Mas daí foquei em pegar 2 ônibus para uma reunião que eu teria com uma noiva (o último antes de tirar a carteira e quem sabe roubar um carro).
E assim, cheguei em casa destruída depois de 2:30 de reunião. Nem deu tempo de fuçar as redes sociais com dignidade. Estava cheia de planos de faxina para hoje cedo e desisti. Fiquei na cama até a hora que fosse possível.
E aí começa fevereiro, com um Carnaval já de cara, com um casamento dia 14 e aula teórica para minha habilitação (oremos).
Estou mais tranquila, sem o desespero que foi janeiro e a saga do dente. A segunda fase do TCC foi enviada (Thanks Renatita) e eu estou meio caladona, galera tá estranhando. Tá, paguei alguns micos. Na sexta feira rolou pedido do retorno das fotos no elevador. Ha! Achei fofo, e já tirei três. Vou com calma para não me empolgar. Meu objetivo de ser menos facebook e compra de roupas precisa dar certo.
Obrigada gente pelo apoio, paciência e alguns esporros no mês de janeiro. Que foi um mês massa pelo casamento do sobrinho e porque eu descobri que eu tenho muitos amigos, mas mais da metade me acha um porre. E assim vou traçando meus objetivos mínimos e sorrindo. Porque estamos só no segundo mês do ano de 2016.

Beijos e beijos!




Casamento Jeff e Carol - 21/04/2018

Se eu soubesse que 2018 seria tão emocionante e feliz, eu teria reclamado menos do pé na bunda que levei depois do Carnaval.  Pois é. Ass...