sexta-feira, 31 de março de 2017

E vem chegando abril

Março está em seus últimos suspiros. Graças a Deus! fiz aniversário e aí para mim o ano começou agora. hahaha, todo mês tem algo que me diz que o ano só está começando. Porque o sentimento de que estamos em 2016 ainda me incomoda bastante.
Mas agradeço muito por mais este mês, onde além do racionamento de água chatonildo, mas necessário né? Tem a rotina com mamys poderosa operada. E tem toda a questão de que agora eu fiz 33 e preciso amadurecer. Aff, estou tentando isso desde 1977 haha 
As coisas à grosso modo estão boas, estão calmas, serenas e claro, me esmagando internamente, porque eu sou destas. Fico remoendo tudo durante horas, até ficar com falta de ar. E vou vivendo, fazendo meu trabalho, com medo, sempre, só que estou numa onda de que vai com erro mesmo, não sou máquina. Estou cansada de viver á sombra de minhas próprias críticas. 
E abril vem com a novidade do "descanso" do blog, porque eu me comprometi e vou cumprir. E parece que tem amor novo chegando na área e eu me sinto além de tudo bem inspirada. 
Então vem abril. Traga coisas legais, divertidas, soluções para alguns problemas, serenidade para caso a gente não resolva nem metade deles e saúde.
Aproveito para agradecer imensamente às pessoas que me deram parabéns. Sério, foram muitas pessoas lindas que me desejaram um mundão de coisas legais. Me senti muito amada, especial e até gostosa. Minha irmã me escreveu tão lindo. Meu irmão mais velho me mandou um áudio que sério, engasguei e juro, engasgo até agora. Foi muito bom completar aniversário. As comemorações foram bem discretas e eu gostei de todas elas. Amei cada pedaço do meu dia. E a surpresa que eu ganhei no trabalho? Olha, nunca nesta vida imaginei que eu fosse ganhar algo do tipo. Achei tão lindo que me emocionei de verdade. Dia 28/03/17 será inesquecível para mim. Senti muito amor. E agradeço até à quem lembrou e não pode falar nada ou não quis. Estou confiante de que até a chegada dos 34 anos as coisas irão melhorar muito. 
E agradeço a Deus por usa infinita bondade para comigo, minha família, amigos e colegas. Obrigada por não desistir de mim ainda que eu queira desistir de mim mesmo. Mas não, não desistirei. Vamos à luta e tudo vai dar certo em abril e em todos os outros meses do ano. 


terça-feira, 28 de março de 2017

33 anos.

E chegamos ao grande dia. 33 anos. Estou cansada. Mas grata, porque se estou cansada é porque estou trabalhando e estou tendo oportunidades. Agradeço a Deus por cada dia que vivi até aqui e peço que ele me ilumine, me guie e me guarde nos próximos anos de vida. Que Deus abençoe também a todos que estão comigo hoje e estiveram comigo ao longo de uma história vitoriosa. 
Segue abaixo 33 perguntas que li em dois blogs e que achei muito legal. Gosto destas "besteiras". Como o blog ficará de lado por um tempo, acredito que será uma maneira de saber mais sobre mim quando eu decidir voltar. E claro, chushes que se interessarem é só falar comigo, estou aceitando currículos. 
Em caso de dúvida, fale comigo, é sempre bom o olho no olho não é?  



1. Como você chamaria seu filho? - Fernando ou Társila;

2. Você sente falta de alguém? - Todos os dias sinto falta de alguém. E aí neste momento rezo. Peço a Deus para que esta pessoa esteja bem;

3. O que você sente quando dizem que você é bonita? - Ah tá!;

4. Já disse alguma vez: "não é você, sou eu'? - Várias vezes. Aliás, quem nunca né?;

5. Você está ansiosa para alguma coisa na semana que vem? - talvez por não precisar trabalhar no sábado;

6. Você saiu ou ficou em casa noite passada? - Fiquei em casa, especificamente embaixo do bloco conversando com uns amigos e esperando o aniversário (ganhei até uma cerveja);

7. Até que horas ficou acordada noite passada? - 01h30 ;

8. Seja franca, viu alguém em roupas íntimas nos últimos 3 meses? ,
- Vi sim e foi massa!;

9. O que você estava fazendo ao meio-dia? - cadastrando agenda no outlook;

10. Já disse para alguém eu te amo sendo mentira? - Não. Eu realmente preciso dizer esta frase com verdade, porque eu sofro quando ela é dita em vão;

11. É difícil para você esquecer alguém? - Muito. Tanto pelo lado bom quanto pelo lado ruim. Ainda sou bem rancorosa;

12. Já beijou 3 ou mais em uma noite? - Já, no meu primeiro bloco de carnaval em 2016, aos 32 anos;

13. Tem alguma coisa que você quer agora? - hahah não posso falar. Brincadeira! queria almoçar com mamãe e papai;

14. Já se arrependeu de ter beijado alguém? - Nossa, muitas e infinitas vezes. Ainda mais quando o cara tem bafo;

15. Você sente falta de como as coisas eram 6 meses atrás? - Não. Isso de ficar pensando em passado não dá. Só serve para aprendizado, fora isso, fica lá;

16. Você prefere dormir com alguém ou dormir sozinha? - Sozinha;

17. O que você está vestindo? - Uma blusa amarela, uma calça preta, sapato e anel vermelho e brinco bapho com as pontas também vermelhas;

18. Já teve uma terrível separação? - Sim, meu ex-marido que o diga;

19. Tem tatuagens? - 8 e segue o link explicando cada uma delas Tatoos. Sonhos. Futuro.

20. Programa favorito? - Gosto de escrever, de ler, de dançar, de sair com as amigas, tomar cerveja e assistir televisão. Em termos de Programa de TV e afins, sou fã de The Big Bang Theory;

21. Bandas preferidas? - System of a Down;

22. Música favorita? - No momento uma do Luan Santana que não lembro o nome, mas é algo de acordar o prédio, fazer inveja no povo, enquanto eles estão indo trabalhar a gente faz amor gostoso de novo (meu sonho) hahaha;

23. Qualidade que você procura em um parceiro? - Acho que não existe isso de parceiro ideal, mas o ideal seria uma pessoa tranquila, generosa e leal;

24. Frase favorita? - Seja gentil, trabalhe duro e dê graças;

25. Ator e atriz favoritos? - Tom Cruise e Lea Seydoux;

26. Cor favorita? - Amarelo;

27. Onde você vai quando está triste? - Gostaria de sempre poder ir ao Centro, mas aí acabo deitada no sofá de casa mesmo;

28. O que você gosta em uma pessoa? - Gosto de pessoas que tenham equilíbrio, humildade e lealdade e que assim sentem com ricos e com pobres no mesmo nível de educação e respeito ao próximo;

29. Medos? - Medos eu tenho infinitos, mas o maior é o de ficar desempregada e é uma questão que vai além do dinheiro;

30. Significado por trás do nome do seu blog? - Meu blog refere-se ao adjetivo Grande que vem do nome do Teatro Bolshoi. Bolshaia porque me sinto de fato grande e internamente linda, como é este lugar que é meu preferido até o momento, de tudo que já vi ao longo de minha vida;

31. Que livro está lendo atualmente? - A volta para casa (li 5 páginas) de Bernhard Schlink, autor do O Leitor;

32. Último show que você assistiu? - Preta Gil na ressaca de Carnaval no Parque da Cidade e eu adorei!;

33. Frase mais engraçada que já ouviu de alguém para dar em cima de você? - Não foi frase, mas uma atitude bizarra. Eu fazia inglês e tinha 16 anos. Saindo da aula, um rapaz passa por mim e me empurra. Parti para cima muito indignada e ele louco me disse tempos depois que fez àquilo para chamar minha atenção. 

segunda-feira, 27 de março de 2017

Sobre a nova idade que chegará amanhã

Segunda, véspera do meu aniversário. Graças a Deus! Gente que alívio, finalmente chegou o aniversário. ok, é só amanhã, mas já tá rolando aqui um sentimento muito fofo de arco-iris e lágrimas de emoção. Eu amo fazer aniversário. Todos os dias eu tento fingir que não gosto, mas a verdade é essa, amo aniversariar. Não gosto de comemorar, gosto de celebrar, rezando, agradecendo a Deus em orações e antecipadamente agradeço à todos que irão me parabenizar. 
Mas aí ao longo do mês eu venho fazendo reflexões bem profundas sobre a vida que eu tenho hoje. Sou feliz? Estou satisfeita com as minhas conquistas? 
Sinceramente? Não. Mas isso vem acontecendo depois que eu mudei de emprego. Ou seja, estou há quase 2 anos me questionando sobre o porquê de eu ser Secretária e não Jornalista. Me questiono se seria capaz de mudar. Se eu seria capaz de crescer mias dentro da minha área. E percebi que o que sempre me empurrou foi o meu lado profissional. Definitivamente é o que eu coloco em primeiro lugar. E eu não estou tão satisfeita. E não pelo local que eu trabalho ou as pessoas, mas é muito pelo atual cenário político e toda a insegurança que isso gera. E eu vivo esta angústia e fico até mau humorada. 
Mas sei que tudo são momentos importantes para um crescimento efetivo. E que é com paciência que eu irei alcançar meus sonhos.
E quais seriam meus sonhos, agora que passei dos 30 e pelo que eu mesma entendi não tenho a vida que almejei lá no passado? Acho que o principal neste momento é continuar no meu emprego ou na pior das hipóteses conseguir outro, caso a empresa não me queira. E desta forma meu objetivo primordial é voltar a estudar inglês e dar sequência ao objetivo de conseguir o DELE e retomar os estudos do francês. Não aguento mais ter que ficar provando que falo tal idioma. Mas entendo que é necessário ter o bendito papel. 
E sonho em me tornar uma pessoa de hábitos saudáveis. Mas ainda é um sonho, porque apesar de ter tirado a carne, ainda fumo, bebo coca e não pratico exercícios. Claro que lá no fundo não quero ter que ter uma experiência de quase morte para passar a cuidar de mim. Estou há algum tempo tomando pequenas atitudes com relação à isso e aos poucos eu irei mudar e será muito bom, tenho absoluta certeza. 
E claro, sigo sonhando com mais calma em meu coração. Que eu me torne um ser humano mais descansado, sem medo, sem esse desespero que eu tenho em minhas atitudes. Estou tão cansada de dar murro em ponta de faca sabe? Por isso peço a Deus a sabedoria de quem realmente tem 33 anos para seguir na vida sem ser chacota e receber tantas críticas. Chega uma hora que não dá mais para suportar.
Mas acho que acima de tudo, quero uma vida mais sendo eu mesma, tentando apenas fazer o que for correto, sem decepcionar, humilhar ao próximo. Sempre pronta para ajudar ao próximo e sempre, grata. 
Que eu nunca perca isso: a gratidão. O resto, está nas mãos de Deus, pois ele sempre soube o que é melhor. Por isso estou onde estou não é?

Beijos de luz. 

terça-feira, 21 de março de 2017

Uma semana

Em uma semana eu completo 33 anos. E confesso que estou bem. Apesar de tudo, estou bem. Até porque depois de 33 anos de vida não dá para choramingar porque estou ficando velha. É a ordem natural então vamos que vamos.
Tem sido um pré-aniversário um tanto quanto confuso. Ou seja, normal. Porque esta sou eu. Ariana, arretada, sem meio termo, sem preguiça, com coragem, com humor, com teimosia, com irritação e bico quando algo não dá certo. Hoje eu amo, amanhã tenho vontade de socar. Por isso mesmo ando vivendo algumas paixões meia boca eu diria,  porque enquanto eu não me sentir desafiada a amar de verdade, não me peça para ser namorada de ninguém. Porque eu sou de fato muito ansiosa, então eu quero ser rica, magra e ter o cabelo bom para ontem. Amo ler, escrever, dançar, tomar minha cerveja, conversar até altas horas, trabalhar em casamentos, ser Secretária Executiva. Mas também se um dia eu acordar e resolver virar hippie, ok, não me impeça. Porque se  tem algo que eu, Karla Karina gosto é de quebrar a cara. Tá, gostar gostar, nem tanto, mas tem outro jeito de viver esta vida maledita? 
Você conhece alguém perfeito? Com uma vida perfeita? Ah tem. Mas digo pessoas reais, de classe média baixa, que rala feito cão de sol à sol? Não temos minha gente e eu não me encaixo em nada perfeito, fofinho e encantador. Tenho um encanto ou outro, mas no geral eu sou um pé no saco, reclamo mesmo quando não estou feliz, sou curiosa, sou atentada, sou desafiadora, sou charmosa e gosto muito de um boteco e rede num domingo. Eu sou um ser humano mega feliz de estar chegando aos 33 anos, apesar dos pesares, quedas, insatisfações, medos, pés na bunda e foras. Sim, porque eu amo dar uns foras e não necessariamente no lado amoroso. 
Mas eu amo minha vida. Amo mesmo sabe? Ok, não sou feliz todos os dias e acho isso um porre, mas se é para chegar ao fim da vida com alguma maturidade, vai com lama, lágrimas, socos, ponta pés, quedas no abismo, inimigos, desaforos, cuspes na cara, três murrões nas costas, castigo... Recomeço.
E aí eu vejo que com 33 anos eu sou isso: recomeço. E gratidão, inclusive lá vou eu tatuar esta palavra no peito. Pense numa pessoa grata, meu Deus!! Tanta coisa massa, que os 10 anos de blog não demonstraram o suficiente. Nenhuma palavra que eu escrevo definem o que eu sinto pela minha vida, pela minha família, pelos milhares de amigos ao longo da vida, pela lista infinita de amores que vivi, pelas pessoas que me ajudaram, me estenderam a mão na hora da dor, do desespero, da vontade de me matar. Ou você acha que eu nunca quis morrer? Já e te digo que aconteceu umas 5 vezes, mas o que eu tenho de gratidão pela minha vida me impediu de ir para o outro lado, se é que ele realmente existe. Por estar viva hoje, com uma certa sanidade mental, bem pequena eu diria, que dia 28 de março eu terei um dia muito lindo, porque eu não quero pensar em nada de ruim, eu quero comemorar. 
Todos os dias. 

sexta-feira, 17 de março de 2017

Amor & Sexo - o programa que faz refletir

Ontem assisti Amor & Sexo e chorei. Ando bem sensível e cansada de algumas coisas. E para tornar tudo um pouco mais dramático, era aniversário do meu ex-marido e o programa terminou com a música que era do nosso casamento: Oração - Banda Mais Bonita da Cidade. 
Mas Karla: você ainda ama seu ex-marido? E a resposta é simples: não. Não o amo como amei enquanto estivemos juntos, mas sinto que se eu tivesse uma chance de voltar no passado eu teria feito tudo diferente.
Eu sou ansiosa, nada romântica e é justamente aí que eu erro muito. Porque eu tento modificar o outro e foi aí que eu errei não somente com meu ex-marido. Com meu ex-namorado eu achei que tinha mudado, afinal depois de 2 anos e meio sem namorar, ah eu mudei né? Nada.
Continuo mandona, fazendo planilhas, sonhando com o que o outro pode ser. Relaxo muito pouco e exijo de mim e do meu relacionamento o tempo inteiro. Exijo felicidade diária e esqueço que a realidade da vida é puxada e tem que ter muita vontade de dar certo para não desesperar e desistir.
Eu desisto muito fácil. Não tenho muita paciência e fico o tempo todo com medo do que pensam de mim. E é por isso que ultimamente não tenho conseguido sair do casulo. E eu ainda acredito, embora não sendo tão romântica, que é importante que para um relacionamento começar tem que ter o mínimo de atração e borboletas na barriga. E não, eu não tenho sentido nada disso por nenhum dos rapazes que ficam me dizendo que querem me conhecer e tudo mais. Um diz que eu não quero ser feliz. Mas gente, o que adianta em uma relação um ser feliz e o outro não? E não sou tão retardada para não querer ser feliz né?  E eu apesar de grossa, tenho tentado explicar mas sem ofender, obviamente: olha eu gosto de você, mas não quero nada contigo que não seja amizade. 
E vou seguindo né? Sozinha, não tão feliz, porque em tempos de crise pessoal e profissional é preciso ser muito teletubbie para sair dizendo que está tudo 100 %. Mas estou confiante de que eu logo terei um pouco de sossego em meu coração e quando eu menos esperar Deus irá colocar em meu caminho uma pessoa bacana, divertida, animada, confiante, que goste de dançar, tomar uma cerveja e viajar. Alguém que não me prenda, que tenha valores e objetivos. Que seja leve e que assim, apenas queira ser feliz comigo, sem pressão, amarras e aliança. E sendo bem grosseira: que não queira apenas me comer (desculpem o palavreado). 

E o ano de 2017 segue! Já já inclusive é meu niver né? Estou animada (sqn).

Beijos de luz. 

segunda-feira, 13 de março de 2017

Falta um mês

Daqui há um mês o blog fará uma pausa. Não calculei quanto tempo irei ficar sem escrever por aqui, mas cheguei à conclusão em dezembro que era hora de dar um tempo. Por vários motivos, mas o maior deles é que sei que ninguém, ou quase ninguém, para não ser injusta, lê. Agradeço obviamente quem leu algum dos meus textos nos últimos quase 10 anos.
Resolvi hoje, fazer um balanço da Karla que eu era aos 23 anos com a Karla de hoje, com quase 33. Claro que é meio dramático isso, porque 10 anos voaram. Voaram e me fizeram de gato e sapato. 
Nestes anos todos eu me formei, casei, me divorciei e já tive muito que chorar, brigar, xingar, odiar até. Em todos estes anos pouca coisa mudou, se formos analisar friamente: eu continuo reclamona, preguiçosa e sigo com todos os meus medos de sempre. 
Mas tem coisas boas também. Eu amadureci sim, embora algumas pessoa que convivam comigo sempre achem o contrário. Sigo com a pele limpa o que faz com que nunca me deem a idade que realmente tenho.
Fui feliz demais escrevendo aqui. Algumas coisas muito boas, algumas coisas muito, mas muito ruins também. Algumas viagens, alguns romances, algumas alfinetadas, algumas crônicas e opiniões. Recebi muito amor de algumas pessoas que acreditaram que as coisas que eu escrevi fizeram sentido na vida delas e este é o maior presente que eu podeira receber. 
Quando decidi escrever, nunca imaginei que fosse durar tanto. Poucas coisas em minha vida duram, e o meu casamento é a maior prova disso, mas o blog teve seu tempo de vida útil sendo pelo menos para mim, muito útil. Gosto de ler algumas coisas que escrevi e delas tiro o que é bom para seguir. 
Temos um mês ainda, irei escolher alguns textos legais para compartilhar no face e aí sim, em 13 de abril de 2017 o Bolshaia vai dar uma parada. Mas estarei sempre dando uma passada para ler os meus blogs favoritos e para respirar quando eu achar que nada mais vale a pena, porque se tem algo que este blog me ensinou nos últimos anos é que quase tudo nesta vida vale muito a pena.

Beijos e beijos!

quarta-feira, 8 de março de 2017

08 de março hipocrita

E mais um dia 08 de março. Dentro da minha cabeça eu nem estou comemorando. Nada. Até tenho sido cordial desejando um lindo dia às mulheres, afinal o fato de eu achar a data hipócrita não me dá o direito de ser amarga. 
E leio todas as mensagens que me enviam e não me comovo. Porque não adianta me desejar um feliz dia das mulheres hoje e me julgar pelo que sou, como mulher principalmente. Me dizer que me acha um monte de coisas fofas e por trás julgar minhas escolhas. Me julgar pelos meus hábitos, pela minha religião, pela minha escolha profissional. Me julgam por eu ser divorciada. Por eu morar de aluguel. Por eu não ter filhos e não querer ter filhos nunca. Por não ser católica. Por não ser fitness. Por ter o cabelo curto. Por eu ter o cabelo grande. Por eu postar fotos no facebook. Por escrever em um blog. Por nunca dar certo com ninguém. Por não ser concursada. Por gostar de BBB. Por não gostar de Game of Thrones. Por gostar de beber cerveja. Por não comer carne. 
E eu digo mais: eu também sou hipócrita. Eu também julgo a mulher ao meu lado. E te peço perdão. De verdade. Tenho vergonha. Não deveria fazer parte desta turma. Porque eu cresci observando que é muito fácil atirar pedras e mudar esse pensamento é algo que eu me comprometi a fazer. Me comprometi principalmente a entender que sim, cada um faz o que quer de sua vida. E que ou eu ajudo, ou me calo. Não posso, não devo e não quero mais ser a causadora da discórdia. E essa mudança ela precisa ser global. 
A gente precisa se unir mulherada. E parar de achar que a outra é competição. Parar de criticar a cor do cabelo, o corpo, as escolhas amorosas. A gente condena até se a mulher é feliz. Se é infeliz então, é culpa dela. Paremos. Está feio. Sejamos a mudança que queremos. Sejamos entre nós a mudança para um lado muito mais positivo. Não sejamos disputa o tempo inteiro e veneno a cada segundo.
Sobre os homens nem vamos nos aprofundar né? Espero que eles percebam quem realmente somos. O que realmente queremos. E que nos respeitem, em todas as esferas da vida cotidiana, principalmente, a meu ver, se ela estiver de sainha andando às 23h00 na rua. Deixa eu te falar: ela não quer ser estuprada não tá bom?
Beijos!

terça-feira, 7 de março de 2017

Meu primeiro amor

Lendo o blog http://www.myotherbagischanel.com.br, me deparei com um texto fofo sobre primeiro amor. E não tive como não lembrar do meu primeiro amor, forte, lindo e inocente.
Eu tinha uns 8 anos provavelmente. Sim, 08 anos, quando ganhei minha primeira e única bike da vida. Uma Caloi vermelha fofa que eu usei tanto que acho que não serviu nem para dar. Mas calma, não foi a Caloi o meu primeiro amor não, se bem que eu acho que foi, porque lembro ainda da sensação gostosa quando abri aquela caixa que estava atrás da árvore de natal há muito mais de um mês e que eu achava que era um armário (a louca!).
Hugo. Esse é o nome do meu primeiro amor da vida, que me resgatou depois que eu bati com minha caloi no meio fio. Eu estava aprendendo a andar e resolvi arriscar na rua. Caí pouco antes da casa dele, ele brincava na frente de sua casa, quando me viu chorando, me pegou no colo. Não sei efetivamente quantos anos ele tinha, mas ele me carregou no colo e isso foi o suficiente para eu me apaixonar por ele. 
Loiro, magro, um pouco alto para mim. E eu passei 3 anos de minha vida pensando nele todos os dias. Quando passava ao seu lado, sempre olhava. Eu já era atrevida. Eu fazia tudo para chamar sua atenção. Até andar de bike num sol escaldante de meio-dia. Se ele estivesse na rua, eu dava meu jeitinho.
Isso de paixonite de criança sempre foi um tabu em minha família. Como vários outros temas, normal, acontece e não julgo. Então que eu escondia fortemente isso. Mas eu tinha uma prima cão (que Deus me perdoe), que quando eu aprontava algo ou acontecia algo que me tirasse do eixo por causa do Hugo, ela ameaçava contar para meus pais. E eu morria de medo de descobrirem. Hoje, acredito que eles até soubessem, mas não deram atenção não.
Já cheguei a brigar feio com essa prima, não por causa dele, mas porque eu achava tão injustas as ameaças. E já briguei com uma colega de patins só porque ela disse que ele gostava era dela. Não. Ele gostava de mim. 
Claro que não. Nesta época eu já me achava feia e já entendi que de alguma forma que eu seria péssima nisso do coração. Não imaginei que seria tão doloroso, mas eu sentia que não era uma pessoa muito sortuda no amor.
Fui pra Rússia e 4 anos depois, ainda gostava do infeliz! Mesmo namorando. Quando o vi, já mais maduro e ainda mais lindo, eu queria correr e pular no colo dele. 
Agora, 24 anos depois, lembro daquele sorriso de canto que ele tinha. Será que ainda vive a criatura? Já procurei no falecido orkut e no face, mas não lembro o sobrenome. 
Tomara que sim. 


sexta-feira, 3 de março de 2017

Manual do bom casamento: Recepção

Na segunda e última etapa da série de dicas que resolvi dar para que um casamento ou um outro evento específico aconteça de forma mais bacana, vamos falar da recepção.
Geralmente ela acontece em outro local que não seja o da cerimônia. Mas também há os que aconteçam no mesmo local. Para o cerimonial ambas as formas demandam cuidado, atenção e carinho. 
Digo o mesmo para todos que estão ali presentes: fornecedores, família e convidados. Ninguém organiza um evento pensando: vou colocar o que há de pior qualidade no evento. Vou escolher a pior comida, a pior música, bebida quente... entendem a lógica? Então, antes de sair falando, pensem que foram meses e as vezes, anos de economia e planejamento para que o casamento saia perfeito. 
Infelizmente ele não sai perfeito. Mas podemos minimizar os erros se todos estiverem animados, dispostos e com o coração aberto.
As dicas serão para fornecedores, padrinhos, família e convidados.
Antes de começar gostaria de esclarecer que família é convidado também, então sempre sugiro: peguem leve.

- Pais 
Geralmente é reservada uma mesa para os pais, avós (quando tem) e noivos. É importante que vocês sentem nestes locais reservados, pelo menos até a acomodação total de todos os convidados. Claro que você quer circular pela festa, mas é bom que pelo menos tenha uma pessoa ali na mesa. E na hora da entrada dos noivos é muito importante que vocês estejam nela, pois facilita para o cerimonial chamá-los para as fotos oficiais;
Nas fotos oficiais, voltar para a mesa somente quando o Cerimonial disser ok estão liberados. O protocolo exige muitas fotos: dos pais com os noivos, noivo com os pais, noiva com os pais, noiva só com a mãe e por aí vai.

- Padrinhos
Nem sempre é possível reserva local para todos. No caso de irmãos dos noivos, é sempre mais bacana tentar ficar próximo a mesa dos pais, facilita muito para a chamada das fotos oficiais;
Padrinhos não esqueçam de permanecer com a flor da lapela;
Nas fotos protocolares, ter um pouco de paciência. O roteiro é cheio de detalhes: foto da noiva com os padrinhos, do noivo com as madrinhas, do noivo com os padrinhos, da noiva com as madrinhas e por aí vai. É preciso calma neste momento. Não se preocupem que depois de tudo isso vocês estão liberados para a farra;
No caso de padrinho que sejam irmãos dos noivos, tirar as fotos com os noivos como irmãos, depois voltar para as fotos como padrinhos. No caso de primeiro ser foto como padrinho, permanecer perto dos pais para as fotos como irmãos dos noivos. Geralmente tem foto só dos irmãos com os noivos, sem pai ou mãe, da irmã com a noiva, irmão com o noivo e por aí vai;

- Convidados
Cheguem ao local da festa, acomodem-se e ambientem-se. Tenham calma. A comida e a bebida serão servidos. Com certeza. Não precisa apavorar achando que não terá nada para comer. Se por acaso sentirem que os garçons não estão passando, aí sim, chamem alguém do cerimonial e reclamem. O cerimonial monta um roteiro com hora para tudo: tempo de coquetel voltante, hora do jantar, hora de servir o bolo;
Se você é tio, primo de segundo grau, ou até de primeiro e não tem mesa reservada para você, não crie caso. Lembrem-se que em muitos casos só há um mesa reservada, quando muito 02 ou 03. Sintam-se à vontade para sentar em qualquer lugar. No caso de não dar para todos sentarem juntos, sugiro sentar em outro local. Pelo menos até a hora do jantar vocês ficarão sentados e é até bom para socializar, até porque o casamento é bom para isso também. Quantas pessoas não se conhecem, são da mesma família e ali acabam criando laços eternos?. Quando abrir a pista de dança, pode ter certeza que você nem vai lembrar onde sentou;
Saibam que fotos protocolares são para os pais, avós, padrinhos, damas e pajens. Se por acaso os noivos quiserem pedir fotos com os 350 tios, nós do Cerimonial iremos chamar. Aguarde esse momento terminar e aí chegue nos noivos e pergunte se pode tirar foto ali. Se não aguardem informações: ou os noivos irão passar de mesa em mesa, o que é mais comum, ou irão cumprimentar na pista de dança. Em ambos os casos, o fotografo que custou os dois rins dos noivos, estarão lá para ter esse registro importante, não se preocupe;
Aquele kit toilet é dos noivos. Então utilizem os itens que lá estão e deixem o kit lá. Nada pior para o cerimonial do que chegar para recolher e ele ter desaparecido. O mesmo acontece com os porta-retratos e os itens de decoração.Não levar itens da decoração, muito menos os enfeites da mesa. Esses itens são da decoradora, e em muitos casos custa caríssimo. Quando muito é possível levar somente o arranjo de flores, que geralmente, infelizmente vão para o lixo. Mas nada de levar as peças. Em caso de algo poder ser levado, vocês serão avisados;
Guardanapo não é porta doce. Eles ou pertencem ao salão, ou foram alugados pela noiva. Cada um que vira sacolinha de doce, custa aos noivos mais ou menos 10 reais. Então de cara não invadam a mesa dos doces como se fosse dia de São Cosme e Damião. E nunca peguem docinho antes da hora para fazer isso. Para as fotos protocolares a mesa precisa estar completa e não com aquela forminha de doce caída ali no cantinho, dando a entender que alguém já passou por ali;
Na hora do buquê, nunca tenham em mão copo de vidro, nem nenhum copo. Imagina o perigo aquele monte de mulher se jogando pelo buquê com vários copos quebrados no chão. Ou com copos de plástico e bebida voando no cabelo da convidada. O mesmo acontece no caso do noivo jogar a caixa de whisky;
Bem casado não é bolo de padaria. Se não houver ninguém do cerimonial ali perto, não precisa aproveitar e pegar uns 10: para a mamãe, o papai e o filhinho que ficou em casa. A contagem é geralmente feita de um bem casado por pessoa presente;
Em caso de distribuição de havaiana, mantenham a calma. As vezes é dado um papel na entrada e daí só com ele que você pode pegar a sua. Nada de chegar lá e dizer: perdi o meu, ou não peguei. Espere todas as meninas que com os seus papeis peguem a sua e aguarde para ver se sobrou. No caso delas serem distribuídas na pista de dança, a mesma coisa, mantenham a calma. Sei que é radical, mas quem pegou pegou. Não dá para pirar porque não tem uma havaiana do casamento;
Não bebam como se não houvesse amanhã. E não precisa ir na cozinha no meio da festa pedir mais uma bebida. Lembrem-se da lei Seca e do alto custo que é ser flagrado dirigindo alcoolizado. Fora o estrago de um evento no caso de Deus me livre acontecer um acidente. Acaba com a vida dos noivos e com o momento mais especial da vida deles.

- Fornecedores
Estejam ali de coração. Nada de mau humor. Nada de discussão em frente aos convidados. Nada de fazer o que acha lindo, esquecendo que tem um roteiro e um cerimonial comandando aquilo tudo;
Costumo sugerir aos fornecedores que não escutem ao convidado quando ele vem por exemplo e pede música. Sério, não façam isso. Estão com alguma dúvida, chamem o cerimonial;
Galera da comida, todos nos fornecedores comemos e bebemos. Não queremos uma mesa de 08 lugares para sentar e comer com calma, mas queremos o mínimo de dignidade para comer. Eu particularmente só tive problema em um evento e que nem era casamento. Fora isso graças a Deus tenho meu intervalo, como com calma e faço o mesmo com a minha equipe. Nunca vi algo acontecer, mas é sempre bom reforçar;
Nunca em hipótese alguma paquere em evento.  Nem troque contato à vista de convidado. Tá amando? Ame depois do evento, longe de olhos e bocas de convidados e afins, isso pode dar muita "merda";
Estejam em equipe. Você é o DJ, um copo quebrou na pista de dança e você consegue pegar uma cadeira e colocar em cima dos cacos até que o Cerimonial veja e chame a limpeza? Faça isso. Você é do Cerimonial mas o buffet precisa organizar a contagem de algo, ajude. Não custa nada, facilita o trabalho e saímos contentes todos. E no horário; 
Fotografo, filmagem e cerimonial são os 03 itens do casamento que precisam estar alinhados. Nada de estrelismo, eu sei mais do que você, nada disso. Vamos todos cantar de coração e juntos para que tudo saia perfeito. 

A infinidade de coisas que podemos ser conversadas aqui chega me assusta. Sim, porque para mim isso aqui é quase um bate papo. E espero que tenham gostado das dicas, dos conselhos. Eu particularmente tenho dado muito menos mancadas depois que entendi o quão detalhado é um evento como este. Casamento é coisa seria e o casamento como celebração também. Gasta-se muito, estressa-se demais e é ao mesmo tempo para muitos noivos, motivo de aprendizado. Costumo dizer que é mais ou menos nos preparativos do casamento que os noivos terão ideia de como irão lidar, quando casados, com a vida à dois.
Agradeço de coração a cada casal que me ajudou a aprender, as empresas que compartilham conhecimento, me orientam e me dão a oportunidade de ver sonhos se realizando.
E caso queira casar e está com dúvida, não hesite em me perguntar. Sou uma Cerimonialista muito prática e ao mesmo tempo cheia de amor!

Beijos e beijos!

Manual do bom casamento: Cerimônia

E como combinado aqui estou eu falando sobre algo que somente há 03 anos entrou em minha vida por acaso e nunca imaginei que estaria aqui hoje falando sobre isso.
O fato é que ser Cerimonial acima de tudo é ser livre de certas opiniões. Trabalhar em cerimônia sem distinção de religião adequando os sonhos dos noivos aos protocolos, juntar música, foto e filmagem em um objetivo: ver os noivos felizes. 
Algumas questões porém precisam ser avaliadas. Primeiro de tudo algo que eu peço muito a Deus é que convidado aprenda a ser convidado. E é por isso que resolvi fazer este breve manual, mesmo claro sabendo, que estou a mil anos de ser a Cerimonialista perfeita. 
Parto do ponto que quando os noivos contratam um Cerimonial supõe-se que o mesmo saiba trabalhar com isso. Não posso esquecer por exemplo de uma cerimônia em que fui madrinha onde a Cerimonialista  estava em qualquer lugar, menos no altar, o que me levou lindamente, em um vestido bapho e super maquiada a conduzir a cerimônia até o final, já que a peça rara apareceu na hora das fotos no altar. 
Quem está ali na frente geralmente fez um curso e geralmente faz isso há anos. Então não adianta no meio da cerimônia vir ensinar como trabalhar.
O convidado precisa entender que ele chegou ali para o momento. Este momento vem sendo preparado a quase 8 mãos ao longo de quase um ano: a noiva, o noivo, a mãe da noiva e a cerimonialista. Imagina que tudo foi planejado detalhe por detalhe e vem alguém que não sabe os rumos do evento e se mete. 
Outra coisa, em 90% dos casos somente os noivos e a cerimonialista sabem o que vai acontecer. O que sugere que nem as mães sabem de algo. Já vi casamento assim e deu tudo certo. 
Então quando chega o momento de começar a cerimônia, a maioria já está envolvida com evento ao ponto de saber até o quanto a noiva irá chorar. E pasmem: o cerimonial chega para a montagem do evento, ou seja, na hora da cerimônia, mesmo a pessoa sendo poderosa, ela estará já um pouco cansada. São mais de 15 horas de trabalho, e ali neste momento, nada pode dar errado. A Cerimônia, mais do que a festa, não tem como mudar. E é por isso que temos (e aqui o pedido é por todos os cerimonialistas) alguns breves pedidos:

- Padrinhos: 
Cheguem no horário solicitado pelo cerimonial. Nem sempre dá para fazer ensaio, então é ali que será possível passar algumas orientações específicas;
Madrinhas usarem preto no altar somente se a noiva pedir;
Ao chegarem cumprimentem ao noivo mas procurem ao Cerimonial em seguida. Nem todo cerimonial é amigo dos noivos ao ponto de conhecer todos os casais de padrinhos. E no caso de mais de 5 casais certeza que a cabeça dá um nó;
Padrinhos que usarem a flor de lapela muito cuidado com ela. As vezes não tem outra, porque agora elas podem ser cobradas. E não a retirem até que na recepção sejam feitas as fotos protocolares;
Saibam de quem vocês são padrinhos. O cerimonial tem os nomes e sabe onde cada um sentará, mas é sempre mais legal quando você já sabe de quem será o padrinho. Lembrando que padrinhos do noivo lado direito, da noiva, lado esquerdo;
No ensaio antes da cerimônia prestem atenção aos recados dados pelo cerimonial e as orientações. Geralmente ao final da celebração os padrinhos precisam jogar arroz, acender sparkles. Estejam preparados para ficarem bonitos na fotos;
Não masque chiclete e desligue ao celular;
Se chegarem atrasados estejam preparados para não entrar. Algumas igrejas não permitem a entrada dos padrinhos depois do cortejo. E essa situação é feita uma vez, não tem como voltar todo os cortejo. Vocês não irão aparecer na foto ao entrar e fica estranho principalmente se tiver filmagem. O cerimonial geralmente é orientado até pelos noivos: atrasou, começa como der. E depois tira foto apenas na recepção. Não se chateie, mas é questão de lógica e preço, já que atraso gera multa para os noivos.

- Mães e irmãs
A questão de horário é a mesma. Já trabalhei em casamento que a mãe do noivo atrasou 40 minutos. Em outro, a irmã da noiva estava com a mãe. A noiva não tinha pai e entraria com ela. Se somente a irmã estivesse atrasada eu teria começado na hora, mas não poderia jamais deixar a noiva entrar sozinha porque esse não era o desejo dela;
Não se preocupem com o véu da noiva, com o buquê, com nada disso. O Cerimonial está preparado para cuidar de tudo isso. Tente relaxar e aproveitar àqueles últimos minutos de sua filha e filho solteiros;
As fotos no altar estão relacionados em um roteiro preparado carinhosamente pelo cerimonial com os noivos. Se o cerimonial não chamar os irmãos e família é porque essas fotos serão feitas em um outro momento. 


- Convidados:
Com relação ao horário nem precisa esclarecer né?;
Roupa branca é o vestido da noiva. Convidadas, muito cuidado;
O lado direito é do noivo e esquerdo da noiva, mas não se preocupem com isso ao chegar para a Cerimônia. Lembrem-se que casamento é união de duas famílias e que no fim das contas não tem isso de convidado do noivo, convidado da noiva; 
Verifiquem se há espaço reservado. Se não encontrarem alguma identificação de reserva, geralmente os dois ou três primeiros bancos tanto de um lado quanto de outro serão utilizados pelos padrinhos;
Sei que todos querem muito tirar fotos. Se posicionam ali perto da passarela já para tirar 1500 fotos. Só que há um fotografo e uma filmagem. Esses dois itens são uns dos mais caros em um casamento. Então se você colocar o seu celular bem no centro, na hora mais especial que é a entrada da noiva, você acabou de estragar o álbum. Foto e filmagem em um evento não é algo que você congela no tempo. Se algo der errado não tem como voltar. Se você quer muito as fotos, espere quando os noivos forem cumprimentá-los na mesa, ou na pista de dança. Aproveitem este momento para um prece aos noivos;
Ao chegar ao local da cerimônia, seja na Igreja ou não, verifique se é um tapete beige, ou qualquer cor mais clara que está no caminho até ao altar. E há também passarela de espelhos. Esse local não é para convidado passar. Nem de um lado para o outro. Seus sapatos sujos irão deixar tudo com um aspecto de? Sujo. E a noiva irá passar com seu vestido magnífico e provavelmente com seu véu de rainha. E o cerimonial muitas vezes não consegue limpar antes disso e aí, já era;
Você pode não ser daquela religião, mas respeite. Não fique conversando, desligue ou coloque no silencioso o seu celular. Se a criança está dando trabalho vá dar um passeio com ela, mas não atrapalhe a cerimônia;
Você pode estar louco de fome e sede, ser amigo dos noivos, querer pegar um bom lugar. Mas nunca saia antes da cerimônia acabar. A não ser que aconteça algum emergência ou você vá passar em algum lugar antes. Mas certifique-se de que não chegará lá antes de todos. Claro que alguém terá que chegar primeiro, mas não tem nada pior do que chegar mais de meia hora antes dos convidados gerais;
E vá a cerimônia. Se não for para lá, não precisa ir a recepção. Salvo por algum motivo extraordinário, tipo doença, alguma dor de barriga, de cabeça, criança que chorou mais do que o necessário, trabalho... Aí não deu tempo, mas deu tudo certo e você quer ir à recepção. ok. Mas fora isso vou te contar um segredo: os noivos sempre sabem quem foi ou não à cerimônia. 




Não fiz este texto, nem escrevi sobre a recepção me achando. Quero que isso fique muito claro. Mas eu fiz um curso e no meio do curso fui chamada para fazer eventos. Sei também que posso escrever um livro com meus micos e erros absurdos em um casamento, mas de uma coisa eu sei: eu não saio de casa para fazer nada errado. Nunca saí de casa nestes últimos anos sem vontade de trabalhar. Entendo o quanto existe de dedicação, empenho, carinho para que este dia seja perfeito. Se eu que estou sendo paga posso agir assim, porque você que é padrinho, que é um convite espetacular, ou convidado, que é também um convite especial, não podem se comportar com respeito e calma? Todo convidado precisa ser observador e não agir como se estivesse na Feira de Santana. 
Espero ter ajudado. O próximo texto é sobre a recepção, que tem também muitos detalhes que precisam ser observados. 

Beijos e beijos!

Manual do bom casamento

Não sou A Cerimonialista. Todos sabemos. Mas são 03 anos nessa vida totalmente maluca de casamentos. Pelas minhas contas eu já trabalhei em mais de 70 e destes, 15 eu coordenei. São anos em que eu não fui perfeita, nem trabalhando, nem coordenando. Ganhei muitas amigas noivas, mas me tornei família apenas de duas. Dos casamentos em que ajudei lembro raramente os nomes, mas tem detalhes que não serão esquecidos nunca.
Em muitos casamentos que eu trabalhei e coordenei os problemas são quase sempre os mesmos e estão relacionados geralmente àquele começo da recepção no que diz respeito às mesas e acomodação. Sempre acontecem problemas com as fotos. Não existe evento perfeito. O que existe é um bom Cerimonial segurando os problemas ali nos bastidores, tentando resolver tudo com educação, paciência e uma boa dose de bom humor.
Decidi então fazer dois posts com algumas dicas bem legais de comportamento em casamentos e outros eventos.  E irei dividir em duas partes para não tornar tudo muito pesado. Espero que gostem. O meu objetivo é de um dia quem sabe porém, abrir uma empresa bacana e que ofereça, assim como todas as empresas de Brasília, um serviço de qualidade e apaixonado. 



Beijos e beijos!

quinta-feira, 2 de março de 2017

Março, meu mês

E lá vem o meus 33 anos. E para mim a vida segue muito esquisita. Sigo com medo, insegura, cheia de estrias, cansada, com insônia e solteira. 
E cansada do que sou hoje. Nada satisfeita com a Karla que em breve chegará numa idade importante. Tá, nem é tão importante assim né?
Mas tô chateada. Com a vida profissional porque provavelmente entro para as estatísticas que crescem cada dia mais do desemprego. A familiar, porque com a cirurgia da mamãe as coisas deram uma desingrolada. A social, porque se eu não saio estou errada, se saio gripo. E a amorosa, porque meu Deus, eu tenho cara de Professora Helena? Só menino de 23 anos me quer... E os mais velhos são mais quebrados do que eu, não conseguimos comer um dog na esquina lá de casa, ou tem mil filhos, ou ... ah eu ando tão irritada que no momento não consigo pensar em ninguém que eu queira de verdade. 
33 anos e eu moro de aluguel, não tenho um carro velho, tenho um diploma e uma pós que provavelmente não me ajudarão muito daqui para frente, vivo doente, com sono, triste, melindrosa e com uma preguiça absurda de planejar o próximo sorriso.
Ao mesmo tempo estou grata. Porque acredito que até estes momentos são importantes. Dizem que é uma fase pré - aniversário. Graças a Deus também tenho algumas almas caridosas que me suportam. 
Eu só peço a Deus que eu chegue no dia do meu aniversário com algum ânimo de pelo menos tomar uma coca. Festa eu não farei mesmo. Eu só quero sobreviver à esta tensão toda que me assombra. E que seja luz. Minha vida e a nossa.

Beijos e beijos. 

quarta-feira, 1 de março de 2017

Sobre o Carnaval 2017 efetivamente...

Meu Carnaval foi um semi-fiasco. Comecei nervosa e terminei gripada.
Aconteceu muito pouco do que eu sonhei, planejei ou desejei. Teve drama, choro, cerveja, beijo, fome, sono, preguiça e chuva. E amor, porque domingo o casamento foi muito massa. A melhor parte do feriado com certeza.
Foi um fiasco porque eu entendi que eu tenho um longo caminho para ser um ser humano equilibrado e que pasmem fome tira meu humor. Sério, não sabia disso assim tão claramente.
Passei algumas horas no hospital, tentando ao máximo ajudar mamys. E entendi que ainda bem que eu sou Secretária. Porque se eu fosse enfermeira, aí que eu viveria em crise.
E nestes dias, principalmente ontem que eu passei o dia orbitando entre o sofá e o banheiro, aprendi que eu não tenho mais idade para farras.
Fim.

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...