quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Tom sobre tom

Reconheço que as fotos do Hoje eu saí de casa assim estão mais escassas, mas confesso que depois das críticas que recebi, passei a me policiar mais. Não que eu me ache brega e etc, mas acho que é melhor só postar fotos de quando eu realmente estiver me sentindo linda ou receber tantos elogios que valham a pena postar as fotos.
 
E hoje está sendo um dia desses, em que Marido me elogiou e A Chefa também. Ambos disseram que o tom sobre tom ficou bacana e a calça, uma das mais antigas que eu tenho, recebeu elogios por deixar meu corpo normal, não esquelético. Daí achei que com dois votos positivos, valia a pena posar de modelo para o Marido.

 
 

 
 

 
 



Ainda estou me acostumando com o cabelo. Sei que foi uma das maiores loucuras que já fiz na vida, mas sabe, eu particularmente gostei e estou cuidando para não ficar careca. Gastei uma fortuna com cremes e afins, para das um visual normal à cabeleira. Amiga Boop ficou de me presentear com algumas máscaras que podem salvar minha alma de loira falsa, embora eu seja loira desde que estava na barriga de minha mãe, eu acho super lindo. Mas calma, não me apedrejem ainda, me dêem um crédito até ele crescer um pouco e eu conseguir usar todas as máscaras e cremes possíveis, para que o cabelo consiga reagir.
 
Achei meu look leve e de acordo com o ambiente em que trabalho. E eu amo verde né? Estou um pouco triste porque o dedo dói muito ainda, daí colocar sapato fechado tem sido muito tenso, o que tem me deixado, confesso, um pouco deprimida.
 
Nada do uniforme ainda, ou seja, posso continuar tirando fotos do que eu achar que não vá ferir os olhos de minhas queridas leitoras e leitores também né?
 
Desejo uma tarde bem linda e bom, que venha a sexta né?
 
Beijos e beijos!
 
 
 

Quinta para ser a mais elegante

Sem Nome
 
 
Que seu dia seja cheio de pérolas, sorrisos e sucesso!
 
Beijos e beijos!
 
 

O presente, as aulas, a vida

Estou tendo uma semana mentalmente confusa, mas ao mesmo tempo enriquecedora. Entre uma lágrima e um sorriso, peço a Deus que me leve a onde Ele achar que é melhor para mim, pois antes de qualquer coisa, eu preciso me sentir bem, para continuar na luta da vida.
 
Daí, no meio da loucura que é a minha vida, minha Aluna de Russo chegou ontem para a aula com um presentinho. Gente, quase choro. Já estou emotiva ultimamente, com uma declaração dessas de carinho, eu desabo.


ok, que a única foto que ficou boa foi justamente em frente às bebidinhas  da casa.



Eu já havia me sentido amada, pois vários ex-lunos e atualmente verdadeiros amigos, me enviaram mensagens pelo Facebook e eu já estava me achando, com o presente eu pude acreditar mais ainda de que o que eu faço não é em vão. Minhas alunas de Espanhol, Inglês e Russo, são especiais, cada uma à sua maneira, e com elas evoluo e aprendo a respeitar mais ainda o mundo diferente onde vivemos.
 
E lembrei de um comentário que vi no face da desvalorização do professor e eu refleti que ser professor particular não altera muito a ordem dos fatores. E olha que eu sei, pois conheço vários, que a luta pela educação e um ensino de qualidade é a mesma. Ainda mais de idiomas. Meus alunos estão comigo, não só porque devo ser uma pessoa legal, mas porque eu tenho uma visão de ensino um pouco diferente. Digo à cada um que nada se aprende por osmose, ainda mais um idioma que seja completamente diferente do idioma nativo. E eu sempre acho que são em pequenas ações, que as coisas acontecem.
 
E assim, há 6 anos, de forma tranquila, sem atropelos e com uma paixão visceral, eu me tornei professora particular. Eu acredito no que faço, estudo para isso, me dedico em meus horários livres para que meus alunos se sintam bem, se sintam seguros. Eles confiam em mim, eles acreditam em mim e isso é gratificante, é honroso e estimulante.
 
Agradeço também ao meu Marido, que aguenta o entra e sai de várias pessoas, a quem ele trata com todo respeito e carinho. Ele diz que adora me ver ali, tão feliz, fazendo mais uma coisa com um prazer imenso. E quero agradecer aqui à uma amiga que nem sei a onde está exatamente, pois ela é uma pessoa que viaja muito mesmo, que foi a primeira a me dizer que eu seria capaz. Ela me incentivou, ela arranjou o aluno e até hoje continuo fazendo o mesmo com a mesma animação, empolgação e alegria. Não faço somente pelo dinheiro não, faço porque sei que de grão em grão, eu consigo plantar nos corações das pessoas não só o idioma em si, mas o sentimento de que tudo feito de verdade, vale a pena. Eu já ouvi várias vezes que isso é uma tremenda de uma bobagem, mas só quem me vê dando aula, entende que eu amo o que faço.
 
 
Parabéns a cada professor, tanto pelo dia 15/10, quanto pelos dias dedicados exclusivamente para o aprendizado, o ensinamento e caridade.
 
Um beijo com enorme carinho.

08 de setembro de 2008

Este ano de 2018 eu comemoro além da minha formatura, a minha saída de casa, há também 10 anos.  Me formei no dia 26 de agosto e no mesmo...