quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Eu me lembro que há algum tempo eu não suportava a idéia de ficar sozinha por muitas horas.
Em casa, então!. Eu fazia qualquer programa para não ter que ficar sentada no sofá, vendo seja lá o que fosse pela tv.
Com o desenrolar da minha juventude, percebi que sozinha, recolho as melhores impressões sobre o meu mundo e o mundo lá fora. Enquanto medito, deitada em meu colchão e o vento lá fora sopra desesperado, eu agradeço.
A fase de sobreviver ao medos do vazio, passou.


Ontem, foi a última aula de russo do ano de 2009. A primeira aula com 4 alunos aconteceu no dia 21 de março. Eu estava nervosa e inexperiente. Acabei me envolvendo erradamente com um dos alunos e o processo foi desgastante. Em meados de agosto, os outros 3 resolveram deixar a aula e foi aí que minha melhora como professora foi visível. Passei a ter mais ousadia nas aulas, a apostar em minha capacidade de ensinar. Claro, que isso não teria sido possível, se meu aluno não fosse tão dedicado. A entrega dele ao projeto é fascinante e estimulante. Por ele, eu passei a me dedicar diariamente ao estudo do russo e tenho voltado à minha fase russa de uma maneira tão especial, que em determinados momentos consigo me emocionar. É uma troca de conhecimentos e de sonhos. Sinto, que a saída dos outros meninos, foi muito melhor, porque a minha interação e a minha paixão, me dão menos medo, e eu realmente posso dizer que sou uma professora de verdade.
Sem dúvida, sentirei muita falta, mas por sorte, a volta já está marcada para o dia 21 de janeiro.
E a gratidão, não acaba. Nunca!

As aulas de espanhol também estão finalizadas desde o começo do mês, praticamente. Mas aí é uma outra história, porque dependemos um pouco do horário de trabalho de um dos alunos, que precisa viajar e demora muitos dias fora. Mas o que me satisfaz é que quando temos aula, é perfeito. Nos dedicamos para que aquele momento, seja único. Para mim, é também motivo de muito orgulho, quando eu digo que estou indo dar aula. Eles me realizam como pessoa, como ser humano capacitado na arte do ajudar ao próximo, e para mim, ajudar às pessoas é na forma do educar, do ensinar um idioma, ensinar um pouco sobre como é lindo, quando aprendemos. Sou muito feliz, quando às segunda-feiras, pego o bus e encontro os olhinhos brilhando de vontade de ter a aula ali, já e também, chego a me emocionar. O papel de professora, é o que mais me dá orgulho.
E a gratidão!.Continua.

Um comentário:

  1. Bom é tê-la como maestra!

    Ah, e depois vou querer aulas de russo viu!?

    Te amo.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

Casamento Jeff e Carol - 21/04/2018

Se eu soubesse que 2018 seria tão emocionante e feliz, eu teria reclamado menos do pé na bunda que levei depois do Carnaval.  Pois é. Ass...