sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Meme - 3 dias para esquecer


Seguindo com a proposta de apresentar 3 coisas bacanas sobre minha vida e os achismos, hoje falaremos sobre 3 dias que eu realmente gostaria de esquecer, mas que ok, ali estão estampados nas páginas dessa minha vida que mais parece filme de faroeste caboclo.

3 dias para esquecer:


12/06/2000 - Dia dos namorados, e eu achava que namorava um garoto. Já falei sobre ele aqui várias vezes. Enfim. Ele tinha uma mania (e ainda tem, pasmem) de dizer que ia me visitar. Eu me arrumava e ele, claro, não aparecia. Neste dia ele me liga e me pergunta: você recebeu meu buquê de flores? E eu: buquê de flores? Você me mandou isso? Sim, hoje é dia dos namorados. Pois é. Confirmei o endereço, para ter certeza e bem, 15 anos depois não só o buquê nunca chegou, como há 2 meses em uma de nossas tentativas de conversa adulta ele me pergunta: quando a gente namorou? Por mim, nós nunca namoramos, não sei da onde você inventou isso.
Agora me perguntem o que eu acho do dia dos namorados. 

Algum dia de maio de 2005 - Dia que eu quase desisti da faculdade

Não lembro a data exata em que descobri que eu estava sendo enganada e que muito provavelmente não teria como continuar estudando. O desespero daquele momento bateu tão forte que me deu uma dor de barriga de 3 horas no banheiro. Lembro quando do nada meu computador travou e eu mais do nada ainda resolvi recorrer à Tesouraria para verificar o que estava acontecendo. Imaginem a minha reação quando o rapaz falou que eu estava devendo desde a primeira parcela das mensalidades e que o fato do computador ter travado não tinha nada a ver com isso. Agradeço até hoje a minha intuição, mas me enjoa lembrar da reação ao ligar para a pessoa que me dizia para eu não me preocupar que estava tudo sendo pago. Claro que aí sim a ficha caiu que no fundo eu estava me prostituindo sem sexo, porque essa pessoa não era nada em minha vida de fato, talvez tenha me impulsionado a chegar onde cheguei justamente por este episódio. Foi muito triste ouvir o que eu ouvi tanto do funcionário quanto desse anjo em forma de cão. Anos depois eu vejo que o dia D eu quero esquecer, não tudo de positivo que resultou desde acontecimento em si.


07/12/2013 - Dia D da decisão de separar 
Show da minha linda Ivete e do Jason Mraz, que por acaso era da trilha sonora do meu casamento. E eu ali pensando em terminar meu casamento. Eu consegui chorar nas músicas mais alegres da Ivete, simplesmente porque eu estava ali naquele momento constatando que eu não estava feliz mesmo e que tudo estava uma droga e que eu queria me livrar não só da aliança, mas de tudo que me ligava ao até então, grande amor de minha vida. 
Eu já havia terminado muitos e muitos relacionamentos, mas ali, naquele show eu estava terminando algo que teria que ter sido para a vida inteira. E não seria. Perceber isso foi duro e ainda machuca. E é por isso que todos os dias eu peço à Deus para esquecer isso e não ter que passar por isso de novo. E se amar é isso, prefiro ficar sozinha. 




Adorei escrever sobre isso. Eu sei que supostamente são momentos que são para ser esquecidos mas que estão sendo eternizados de forma escrita, mas será interessante daqui uns anos ler e perceber que sim, a vida seguiu de forma tão perfeita que eu já até tinha esquecido essas datas todas. 

Beijos e beijos.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...