sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

"Quando julgar alguém, seja extremamente caridoso." (Santo Padre Pio de Pietrelcina)

Esta semana, como já escrevi em dois textos praticamente, fui extremamente julgada, e sem muita piedade, por alguns comentários que eu fiz sobre opiniões fortes que eu dei. Claro que quando você tem opinião forte e previamente formada, geralmente é isso que acontece, mas é algo com o qual não nos acostumamos bem. Eu fico mal por dias, mas já melhorei muito. Antigamente eu nem comia e chorava muito. Hoje tento melhorar esse meu lado, porque não dá para viver pisando em ovos diariamente.
Ontem trabalhei na Posse da Presidenta Dilma e não comentei muito sobre isso pelo medo das críticas. Porque nem sempre o julgamento é feito de forma fofinha e preferi me guardar, e olha que foi difícil, porque eu estava muito empolgada. Quando comentava com alguém era um tal de ou manda um beijo para ela ou dá uma rasteira nela. Achei que dar uma rasteira na Presidenta não seria uma atitude favorável ao meu objetivo de trabalho e por sorte soube lidar bem com essa fase e fiz do meu dia o melhor dia do ano e olha que foi o primeiro de 2015.
E uma das metas que eu tracei para este novo ano e quero muito que dê certo é criticar, julgar e pré-julgar menos e se possível nem fazer isso. Quero desenvolver toda essa questão da meditação positiva antes de sair falando besteira de alguém. Porque se tem uma coisa que eu já deveria ter aprendido e que a polêmica desta semana terminou de me ensinar é que não adianta criar polêmica. Simples. Não adianta querer que o outro pense, sinta, haja e viva como você, como eu. Não adianta traçar metas, objetivos e sonhos coletivos, além dos baseados na Bíblia, porque cada um é cada um e nada pode ser feito. O fim do meu casamento deveria ter me ensinado isso, mas parece que eu gosto de sofrer. 
O que eu posso fazer todos os dias é rezar. Pedir por mim, pela pessoa, pelas pessoas, pelos amigos e familiares de forma muito intensa e verdadeira. Principalmente dizendo: que seja feita a sua vontade Pai na minha vida, na vida daquela pessoa. E esperar. 
Achei esta frase do Padre Pio perfeita para o primeiro dia útil do mês de janeiro de 2015. E peço a Deus que tenhamos sempre bons pensamentos sobre o outro, ainda que ele não esteja no caminho que eu julgo correto ou que seja a pessoa que eu julgo incorreta e que neste sentido eu possa corrigir falhas em minha postura me analisando e me observando bem, muito bem, antes de pensar ou falar qualquer coisa sobre o outro. E claro, amar acima de tudo, pois Deus é isso: amor ao próximo, independente.
Beijos e beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...