quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Reflexão para os papais







Na semana do dia dos pais, eu parei para refletir (para variar), sobre este desafio que deve ser para um homem o cargo de educar uma filho.
Marido certamente será um ótimo pai, mas uma coisa é na teoria, outra coisa na prática.
A sorte é que atualmente os pais estão mais presentes, ajudam mais, se dedicam, curtem. Antigamente, era mais complicado. Vejo papai. Teve que trabalhar muito na vida e pela criação nordestina, talvez tenha falhado em alguns momentos, o que é absolutamente natural. Mas é que na época em que meus irmãos eram pequenos, o papel do pai era prover, não dar carinho. Educar era coisa de mãe e o pai chegava em casa cansado e só resolvia alguma pendenga se tivesse que ou dar uma surra ou colocar de castigo. Não havia essa abertura que temos hoje. Não havia muito assunto para ser dialogado. Não havia tecnologia que aproximasse. Havia também o fato de que de certo modo, em alguns casos, havia mais união, justamente porque os filhos estavam mais presentes, pois não havia a quantidade de informação que há hoje, daí as pessoas ficavam mais em casa, jantavam à mesa, passeavam no fim de semana. Sim, tudo era absolutamente diferente do que é hoje, mas não tão menos importante ou gostoso.

Observo que na teoria, como já havia dito, ser pai é ser atuante. É caprichar nos cuidados, não só jogar futebol, mas entender de facebook e de como baixar músicas. Andar na moda, cuidar da saúde. E como em toda relação, deve existir acima de tudo a cumplicidade e o respeito.

Achei esta reportagem mega interessante. São dicas para pais de primeira viagem. São dicas para os primeiros meses que são deveras importante no desenvolvimento da criança, principalmente com a presença e participação ativa do papai. Obviamente que os primeiros meses de vida não são nada em comparação ao trabalhão que vem com o tempo, mas não conheço um pai que não seja feliz sendo pai.


E eu de minha parte, sou muito feliz por ter o meu comigo. Até porquê ele é ótimo. Como eu sou muito mais caçula, ao mesmo tempo em que tivemos muitas brigas, tivemos momentos especiais. E hoje, madura e casada, tenho o respeito absoluto de papai. E sei que ele me admira tanto ou mais do que eu o admiro e para chegarmos a este ponto, a caminhada foi longa, árdua e de aprendizado profundo.
Tenho pelo meu pai um enorme, enorme carinho. O acho inteligente, honestissímo, sensato, engraçado, amigo. Nele observo características que eu considero importantes em uma pessoa, ainda mais quando essa pessoa é pai. Porque meu pai é um ser que tem coração, mas que prefere a reflexão baseada em fatos. Pouco o vejo se levar por emoções e quando isso acontece é verdadeiro. Sem papas na língua, criou os 5 filhos e os agregados com muita rigidez, mas da maneira dele com muita sabedoria. Papai é leal e sabe como ser um homem digno. Tenho um enorme orgulho de ser sua filha. Sinto que Deus fez tudo muito correto, quando me levou para o caminho desta família. E sei que esta gratidão ainda é pequena diante de tanto amor que recebi e recebo ainda.

Desejo muito que marido seja um pai bacana. Conversamos muito sobre isso, mas sabemos que na hora será um pouco ou totalmente diferente dos nossos sonhos. Mas gostaria que fossemos acima de tudo, nós mesmos e que ao longo da caminhada dele como pai, ele consiga ser feliz.

E para todos os pais um beijo enorme. Para os futuros papais: boa sorte e juízo. Deus está com vocês!


Beijos e beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...