quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Dica 3 para a Secretária: você e seu chefe

Como combinado, seguem minhas dicas básicas para as amigas secretárias. Repito que não são verdades absolutas, são detalhes que aprendi ao longo do tempo, são observações e principalmente, experiências adquiridas muitas vezes na marra, ou simplesmente escutando, lendo em vários outros blogs. 

Dica 3: Relacionamento com o chefe 

Essa dica é muito pessoal, porque não sei se por sorte ou capacidade, eu sempre trabalhei com chefes muito bons. Só tive um, que já é de conhecimento de vocês, que era complicado conviver, mas que de um modo geral, não foi o pior, eu aprendi muito também.
Sempre fui muito dedicada em meus trabalhos. Sempre me entreguei de corpo e alma e vesti ou visto a camisa da empresa a onde eu trabalho e nunca me arrependi. Mas também sempre trabalhei com pessoas que eram chefes, mas que tinham o lado humano bem forte. Isso me ajudou a desenvolver algo interessante, que é a gratidão. Ser grata é algo que eu admiro nas pessoas e em mim.
Por isso, sou capaz de fazer hora extra todos os dias, se for preciso, mesmo não recebendo nada, porque essa é uma forma de agradecer ao que meus chefes fazem por mim. Não sei como seria, se tudo tivesse sido diferente, mas aprendi ao longo da carreira, que eu teria sempre sido quem eu sou, porque é da minha índole.
Sou do tipo que não tenho problema algum em resolver problemas pessoais dos meus chefes. E reviro o mundo para que tudo saia como o planejado. Tento fazer do dia um aprendizado, tento extrair dos meus chefes o máximo de informações possíveis, porque eu sempre acredito que se a pessoa virou chefe, não foi por acaso. Cuido para antecipar os atos, antecipar as situações e fazer muitas vezes com que  ele ou ela não sintam certos impactos. Não fico contanto o que escuto nos corredores, seja de bom ou de ruim, mas se alguém fala mal do meu chefe pelo corredor, sou capaz de defender com unhas e dentes. Sei que chefe não é amigo de infância, mas conto sim, certas coisas de minha vida pessoal, mas geralmente quando não há outro jeito. Por exemplo: se eu não tivesse contado para meu chefe atual sobre ter ido morar com marido, eu jamais teria conseguido tempo para alugar a kiti ou organizar o casamento. Ele foi importante nesta fase e sempre se mostrou muito preocupado com a minha saúde. Por isso, não invento história. Se preciso ir ao médico eu falo. Se vou me atrasar eu falo. Não escondo certas partes, porque o chefe precisa confiar em você e ser verdadeiro é o maior passo que damos em nossa carreira. 
Não sei se minhas atitudes pareçam com o que chamamos de ser puxa saco. Nunca vi desta forma, porque eu tento de certo modo, alertar também, quando julgo que algo não está bom. Sei quando meu chefe está de mau humor, sei quando ele não pode atender as ligações, quando a vida pessoal dele não está bem. Mas fico na minha, só falo de fato quando sou chamada e quando me pedem algum tipo de opinião e mesmo assim, tento ser o mais delicada possível. Já me chateei com meus chefes muitas vezes, porque nem sempre as coisas são como deveriam ser, mas nem por isso fui lá peitar. Fico na minha, em meu devido lugar.
Aprendi que o relacionamento com seu chefe muitas vezes é muito maior do que com sua própria família e é nessa tipo de relação que desenvolvemos certas atitudes importantes para uma vida inteira: tolerância, paciência, respeito pelas diferenças, respeito da individualidade, carinho e admiração. Eu sempre achei que é preciso admirar as pessoas com quem convivemos (entenda: não é idolatrar e bajular doentemente). A Secretária tem que ser o porto seguro de seu chefe, a parte importante em determinadas situações, mantendo o respeito mútuo e a colaboração, para que todos os projetos da empresa sejam sempre priorizados e alcançados com sucesso.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...