sábado, 17 de abril de 2010

Ter uma mãe que tenta decidir o destino dos filhos, deve ser muito ruim. Mãe que opina é legal, mas que se mete e que chega a interferir de modo grosseiro, deve ser muito ruim mesmo.
Eu sempre tive diversas opiniões em minha vida. Mamãe linda, sempre tentou me ajudar. Ela nunca chegou a interferir de fato. E se interferiu, eu sempre ouvi o meu coração. Ainda, que minhas decisões fossem pioradas, eu sempre fiz o que eu quis de minha vida e acho que isso é natural.
Principalmente em relação à namoro. Olha, eu tive uma época bem namoradeira. E mamãe linda, tadinha, ficava doida, mas eu sei que no fundo, torcia e torce, para que eu encontre uma pessoa legal. Ela sempre me mostrou o lado bom das coisas e me educou de uma maneira, que eu pudesse ser mulher e mãe e tudo mais que eu desejar ser. Mas nunca, assim, virou e me desprezou pelas minhas escolhas, fossem erradas ou não. Não imagino a minha mãe, por exemplo, indo à casa de algum namorado, gostando dele ou não, para ter uma conversa. Não. Ela deixa que eu tome minhas atitudes e que se precisar de colo, carinho e afeto, com ela eu posso contar sempre.
Ela é mãe, não é minha dona. E isso sempre foi muito claro e eu acho que é assim que as relações, de todo o tipo, devem ser. Ninguém é de ninguém, mas todos nos interligamos para fazer o bem e ajudar, quando realmente for preciso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

Quando é preciso acreditar em si

Há um ano eu conheceria uma pessoa que mudaria para sempre a relação que eu tenho comigo mesma. E que me fez entender o que é atravessar um...