quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Tatoos. Sonhos. Futuro.

Daqui uns meses, em abril, meu blog encerrará suas atividades. Spoiler!! Foi mal. E decidi escrever uns textos de despedida. Temos um tempo ainda para muitas histórias, mas o texto de hoje é muito especial para mim.
Decidi explicar um pouco sobre as minhas 8 tatoos, um pouco de como elas surgiram e seus significados para mim, obviamente. Aprendi que elas não precisam ser tão explicadas, mas acho que com essas linhas acabo um pouco com os comentários as vezes maldosos. Aprendi principalmente a respeitar as tatuagens alheias, tendo em vista que eu tenho um Minion, então, quem sou eu para criticar ou julgar a tatoo de alguém. E não critico quem tem mil tatuagens. Eu mesma dobrei minha meta e mesmo recebendo ameaças eu pretendo sim seguir realizando meus pequenos sonhos no meu corpo. 
Vou por ordem de criação em meu corpo.

Matrioshka
Essa sempre foi a primeira que desejei. Foi criada a partir de um desenho de um site de informática russo que fazia alusão à maçã da Apple. Um amigo meu, em uma noite de cinema me mostrou e daí não teve jeito. Esta eu pedi autorização para mamãe. Ela achou que ficaria nisso. Fiz em setembro de 2009, dias antes do aniversário de 18 anos do meu sobrinho porque eu ia dançar dança do ventre e achei que ficaria charmoso.
A foto foi tirada um dia em que eu estava à toa na primeira kiti que morei sozinha.


Símbolo do meu signo: Áries

Estava eu fazendo luzes no cabelo bem ao lado do meu atual querido tatuador, o Hugo, filho do grande tatuador de Brasília, o Cícero. Ele estava fazendo uma promoção e eu decidi ali fazer ela. Escolhemos calmamente o desenho e em 10 minutos ela estava linda, e eu loura. Conversamos ainda na cadeira sobre a próxima e é ao Hugo que recorro quando sonho com alguma tatuagem. Ele fez quase todas. Temos altos planos para mais rabiscos no corpo. 
A foto desta tatoo foi tirada em um dia de trabalho. O fotógrafo me falou: você é guerreira e tem uma tatoo linda! Foi emocionante este dia. 
Tatuei porque eu sou a louca dos signos e amo ser ariana. Quero ver se complemento o desenho mais pra frente. 


Teatro Bolshoi

Quando fui ao Teatro Bolshoi pela primeira vez eu pensei: o lugar mais lindo que já vi na minha vida. Então eu não poderia jamais não desenhá-lo em meu corpo. O Teatro Bolshoi representa meus momentos mais felizes e sim, os mais difíceis. Meus 4 anos em Moscou e tudo que aprendi e carrego em meu coração. Tatuei no ombro porque mulher com tatuagem no ombro geralmente é livre e tem atitude. Para variar, fiz com o Hugo. 





Be Kind, Work Hard, Give Thanks e o gatinho

Vi essa frase no Pinterest e foi natural tatuar no meu corpo uma frase que tanto me representa, tanto no meu lado pessoal quanto no profissional. Seja gentil, trabalhe duro e dê graças. E ao gato em homenagem à Abigail e Olivia. Tudo bem que ainda estou aprendendo, todos os dias a representá-la na realidade do meu dia a dia, mas já melhorei muito. E todos os dias quando penso que vou sair do caminho eu olho para minha perna e penso: cara, tu tem uma vida maravilhosa, cabeça erguida, vamos à luta e nunca desista. Para variar, feita pelo Hugo.


Minion X

Não sei o nome deste Minion, mas talvez este desenho tenha o significado mais triste. Ele representa o fim do meu casamento. Demorei muito tempo para assistir ao filme Meu Malvado Favorito. A primeira vez que o assisti e vi os Minions, não sei de fato o que me deu, mas chorei, chorei muito. Era uma segunda. Pedi a separação na quarta. Mas quando vejo minha tatoo penso, pasmem, no quanto fui feliz. No quanto ter sido casada me fez tão bem e no quanto eu me tornei um ser humano melhor. E sei que apesar dos pesares, Deus tem preparado sim um homem com o qual eu terei novamente uma vida de casada feliz. Não é minha prioridade, mas acredito. 
Quem tatuou foi o Marcelo Calil, no dia 14 de maio de 2015, 2 dias antes de eu coordenar o casamento dele. Tenho o maior orgulho dela e quando alguém me pergunta porquê um Minion eu sorrio. Nem tudo precisa de explicação. 
A foto foi tirada em um ensaio que fiz em 02 de novembro de 2015 e que terá um texto explicando o ensaio com algumas fotos. 




Desenho X

Essa não tem muita explicação. Queria uma tatoo entre os seios. É sexy, é Rihana e eu amo usar decote. Conheci a Sindy, uma tatuadora linda aqui do meu prédio que em 15 minutos fez o desenho. Eu precisava de uma pedra vermelha, que dizem representa Áries. Ponto. Tatuamos em um domingo. Começamos às 20:30 e terminamos às 23:30. E pasmem, cochilei. 



Verbo ser na primeira pessoa. Apenas.

Essa eu vi em um livro que meu ex pegou para ler um dia. Pouco tempo antes de terminarmos. É egoísta, mas ela coube como uma luva naquele momento. Meu namoro foi top, mas me mostrou que realmente é preciso se amar antes de amar o outro. E eu aprendi que nada do que faça será o suficiente. Para o outro. Para mim não, tudo que eu faço para mim é feito com tanto amor que me consome, que me enche de vida. E sim, apesar de eu, como na outra frase que tatuei, ser gentil com o próximo, eu tento antes de tudo ser gentil comigo. By Hugo novamente.


Cachoeira

Essa eu decidi tatuar em 2014, mas tatuei em 06 de dezembro de 2016. Ela cobriu uma outra que eu tinha mas que detestava, que era uma frase em russo. Ah mas uma cachoeira? A escolha é polêmica, por isso prefiro não expor tanto. Mas ela representa meu caminho espiritual, minha religião, que eu estou aprendendo diariamente com ela apesar de estar nela há 5 anos somente. Representa meu lado maternal, meu lado sensível, meu lado amor pela natureza que é um pouco limitado ainda. Representa quem eu quero ser: aconchego, paz, cor e luz. Hugo para variar foi de uma sensibilidade, de um carinho comigo. Não perguntou muito, mas como já era a quinta tatuagem que ele fazia em mim, então ele já sabe o que eu gosto, qual o meu limite e sempre faz com uma alegria. Esta foi uma que eu não consegui dormir. Senti muita dor porque no dia eu estava com febre. E foi uma região que doeu mesmo. Mas amo cada pedaço dela.


Sou muito criticada por um lado por me tatuar. Mas recebo muitas demonstrações de carinho também. Tem gente que admira minha coragem. Tem gente que acha que tá demais já. Tem gente que acredita que isso vá me limitar profissionalmente. Tem gente que acha que eu não vou arranjar um namorado. Tem gente que não tem e acha o máximo. Mas eu aprendi a me respeitar. São minhas escolhas, as vezes difíceis. Eu penso muito antes de tatuar. Analiso, pesquiso, tiro dúvidas. Nada do que está no meu corpo de fato é moda. São desenhos que realmente me representam, que demonstram um pouco de quem sou: sensível, corajosa, batalhadora, carismática, família, alto astral, devota aos meus sonhos, objetivos e dores. Elas me dizem que o pouco que tenho eu preciso desenhar, preciso extravasar e ser feliz. 
Doeram? Umas menos que outras, mas todas doeram sim. Não minto. Em duas ou três eu dormi. Mas em outras não. Dói em todo canto. 
Vai fazer mais? Sim. Eu tinha o objetivo de fazer apenas 10. Mas tive uma ideia dia desses, então vou começar a colocar em prática em 2018. Como a maioria sabe, estou planejando ir na Rússia nesse ano e lá eu farei uma, com algum tatuador pica. E aí vou fazendo. Meu objetivo sempre foi ter um de meus braços cobertos de desenhos, mas sei que acima de tudo eu amo a minha profissão e entendo o preconceito e sei que perderia algumas oportunidades. Vou continuar sempre tentando esconder, e nas minhas horas livres mostrar pro mundo que eu amo ser tatuada.
Quando eu fiz meu terceiro ou quarto desenho, minha mãe me contou que lá pelos meus 5 anos eu disse: quando eu crescer quero ter o cabelo bem curtinho, morar sozinha e ser toda tatuada. Deus me ouviu e me ajudou. E me ajuda sempre, porque parece bobagem, eu tenho uma alegria imensa por ter a oportunidade de me tatuar. 
Aproveito para agradecer à todos os profissionais que tão lindamente me desenharam. Agradeço ao Calil que me presenteou com o Minion. Agradeço ao primeiro tatuador, o Claudio, que me deu muita força na minha bonequinha e ao meu amigo Felipe que apareceu por lá para rir da minha dor. Agradeço ao meu ex marido por estar ao meu lado quando tatuei o Teatro Bolshoi. Depois ele também tatuou com o Cícero e ambos ficamos marcados no mesmo período e como ele disse na época: vamos sempre lembrar que fizemos parte um do outro.
E que Deus me permita sim ter mais desenhos no meu corpo. E que as pessoas não percam seu tempo me criticando. Como dizem os memes da internet: você tatua sobrancelha e eu não te critico.

Beijos de luz!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...