domingo, 22 de agosto de 2010

Jamais desistir do blog: a minha missão de vida

Sabe?. Eu não ligo mais se eu tenho o dom da escrita ou não. Se o meu blog tem um público alvo ou não. E também, se o que eu escrevo atinge ou se agrada, conquista. Não escrevo para atingir proporções científicas. Não escrevo para que alguém leia e eu vá parar na Academia Brasileira de Letras.
Escrevo por motivos bem pessoais, bem meus. Escrevo sobre meu dia, sobre o que eu acho, sinto e vivo.
Sexta eu havia pensado em dar um tempo. E esperar voltar somente quando eu pudesse escrever sobre questões mais interessantes, didáticas e coerentes.
Mas eu não quero me prender em minhas emoções, sem poder vir aqui e contar por exemplo minha felicidade, ou minha angústia do momento.
Escrevo e continuarei escrevendo. Se eu tenho um ou dois leitores, ótimo. Se alguma pessoa não gostar ou achar tudo isso uma tremenda bobagem, desculpe.
Desistir de meu blog, seria como desistir de mim e de tudo o que tenho em meu coração.

Um comentário:

  1. Pois que não deixe nunca de escrever.

    Independentemente do que você escreve, passa uma enorme sinceridade e carrega um sentimento muito forte, que contagia até a mim(que não sou necessariamente conhecida por ápices de sentimentos).

    Parabéns pelo seu blog, sempre.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

Casamento Jeff e Carol - 21/04/2018

Se eu soubesse que 2018 seria tão emocionante e feliz, eu teria reclamado menos do pé na bunda que levei depois do Carnaval.  Pois é. Ass...