segunda-feira, 31 de maio de 2010

Em uma manhã de segunda, peço carisma interno, paz externa, beijos, afagos sinceros e verdades absolutas.
Encarno a lohhhca e me desespero pelo incerto. Magnetismos a parte, bebo meu leite e planejo me familiarizar com o grotesco da vida e da infelicidade armada, enquanto dormia. Os querubins me levaram ao delírio e eu só queria acordar pra a semana que me espera.
E você?. A onde está que não vejo, não sinto e não desejo?. Escondido entre plantas medicinais talvez.
Apareça vestido em roupas de grife e não me leve em copos sujos. Eu sou estrela dalva, venha e me possua sem vestígios. Se isso lhe for permitido e desejado.
Alucinações de lado. O trabalho me ama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

Quando é preciso acreditar em si

Há um ano eu conheceria uma pessoa que mudaria para sempre a relação que eu tenho comigo mesma. E que me fez entender o que é atravessar um...