terça-feira, 25 de outubro de 2016

Mais um fim

É bem pesado o título deste texto, mas comigo não tem meio termo. Acho mais fácil assumir logo que sim, meu namoro mais legal dos últimos tempos, chegou ao fim.
Aí você me pergunta: se era tão legal, por que chegou ao fim?
Não sei responder de outra forma: acabou porque ambos decidiram. Meio mau educado dizer isso, mas não há outra maneira mesmo.
E tem sido complicado, não nego. Já havíamos terminado antes e tinha sido uma dor muito intensa. Dor agora muito mais intensa. Já morávamos juntos praticamente desde o nosso primeiro dia, o que gerou desespero em muitas pessoas. Muitas críticas, claro, pela velocidade em que tudo aconteceu. E agora, muitas outras pelo simples fato de não saberem que o amor minha gente, cada um vive à sua maneira. 
Eu da minha parte posso dizer que eu vivo o que eu acho que é o melhor para mim. Quando eu amo, eu amo de verdade. Se amo um dia ou um mês, beleza. Não me prendo à padrões. Detesto o tem que ser. Sempre me pergunto onde está escrita à fórmula para que uma relação dê certo para o resto da vida. Claro que eu quero que seja para sempre, mas aí essa expectativa gera muita insônia e se tem algo que eu não me permito mais nesta vida, é perder uma noite de sono. 
Gostaria de agradecer imensamente ao Bruno por todos estes meses juntos. Aprendi muito contigo, pela sua maneira humilde, cheia de vida, jovem e audaciosa. Me mostrou que eu sou capaz de amar. Sinceramente eu achava que encalharia ou viveria ainda por um bom tempo só na sacanagem. Mas eu aprendi mesmo com você. Resgatei valores para levar não somente para a vida amorosa, mas para minha vida inteira. Aprendi até que eu sou linda, e admitir isso você, que conviveu um pouco comigo, sabe que não era possível. 
Agradeço aos seus familiares pela calorosa acolhida. Pelo tratamento gostoso, cheio de respeito e carinho. Seu pai, sua mãe, irmã, tio, sobrinho e avó sempre me receberam muito bem.
Agradeço aos meus familiares por terem recebido o Bruno em nosso núcleo de forma tão carinhosa e gentil. Agradeço à Sobrinha Ratattoulie por sempre ter nos apoiado incondicionalmente, inclusive aconselhando e me dando alguns puxões de orelha. 
Agradeço aos amigos fieis, principalmente à Cris, que sempre esteve comigo nos momentos tristes e alegres, me ajudando, me ouvindo e me colocando para cima.
Foram meses intensos, gostosos, de muitos sorrisos, algumas lágrimas, DR´s e conversas. Bruno sempre foi presente, me ajudando com a organização da casa, com as Meninas. Nos 2 últimos meses me ouviu todas as vezes que cheguei em casa em completa crise profissional. Segurou minha mão muitas vezes, me chamou de linda tantas vezes, me disse o quanto eu era especial. Tudo o que vivemos foi muito verdadeiro. 
Peço perdão pelas minhas atitudes egoístas, pelas vezes em que me achei superior à você, Bruno, em que me julguei inteligentíssima, perfeitíssima e tantas outras coisas. Me perdoe por nossas brigas, pela minha falta de romantismo e atitude. Sei que grande parte do fim do nosso relacionamento está ligado ao fato de que eu ainda sou muito imatura para conviver com quem quer que seja diferente de mim, mesmo sabendo que ninguém é igual à ninguém. 
Mas quero que saiba que sempre te amei, sempre te respeitei, te admirei e nada disso irá mudar porque não estamos mais juntos. O que vivemos irá representar um marco naquilo que pretendemos seguir de vida. E eu só posso te dizer que sempre que precisar de mim, sabe onde me encontrar e eu irei sempre te apoiar. Eu te amei desde o primeiro segundo e não deixei de te amar. O fim do nosso relacionamento como homem e mulher em nada mudará os sentimentos mais nobres que tenho por você e por tudo que representa em minha vida.
Que Deus te abençoe e nos abençoe para que nossa caminhada seja repleta do que sonhamos e amamos.
Com amor,

Karla! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

10 anos. A pausa.

sexta-feira, 13 de abril de 2007 Novo blog...............aff Sério..........essas formalidades da informática me irritam. havia...