sábado, 9 de fevereiro de 2013

Mentiras e verdades sobre as biritinhas que amamos




Chegou o Carnaval! Para muitos ele começou no começo do ano, para outros, hoje é o primeiro dia para se esbaldar até a quarta feira de cinzas. Lembrando que na verdade é terça, pois na quarta muita gente tem que trabalhar né?
O fato é que essa festa pagã deve ser vivida por cada minutinho. E eu sugiro que você seja feliz e que faça o que der vontade de fazer, mas... sempre tem um mas né? Sugiro que você viva com cautela esses dias de folia. E uma das dicas preciosas é não dirigir depois de beber. Além de ser perigoso é ilegal, a multa é muito alta e perder a carteira dá muito medo né? Ah e use camisinha pelo amor de Deus!!!!
Mas se você tiver como beber porque tem carona para casa, ou porque vai a pé, vamos aprender algumas verdades e mitos sobre essas bebidas que nos fazem tão felizes?
Escolha a sua preferida e vamos lá! Alegria, alegria!
1- Ingerir alimentos antes de apreciar bebidas alcoólicas ajuda a retardar os efeitos do álcool.
Verdade. A ingestão de alimentos faz com que a absorção do álcool pelo organismo seja mais lenta, o que pode resultar em uma menor sensibilidade ao álcool. Isso acontece porque, ao ingerir alimentos, a bebida fica mais tempo no estômago, local que absorve mais lentamente o álcool do que o intestino delgado, o próximo órgão que realiza a digestão.
2 - Bebidas doces fazem o álcool “subir” mais rápido.
Verdade. A adição de açúcar em drinks com álcool acelera um pouco a taxa de absorção do produto na corrente sanguínea.
3 - Não importa a idade, o que importa é o quanto se bebe.
Falso. Apesar da quantidade de ingestão de bebidas alcoólicas ser um fator crucial para um consumo responsável, a idade também é um fator importante - tanto para os muito jovens quanto para os idosos. No caso dos jovens, em função da falta de maturidade, eles podem ser mais vulneráveis aos efeitos de bebidas alcoólicas principalmente pela diminuição de capacidade de julgamento. O jovem tem uma maior tendência a se deixar levar para atividades perigosas.
Pessoas idosas também exigem atenção especial no que se refere ao consumo de álcool. Ao envelhecer, ficamos cada vez mais sensíveis aos efeitos, devido à redução da massa muscular e a menor porcentagem de água no corpo. Além disso, o álcool não deve ser misturado com alguns medicamentos, que geralmente são utilizados por pessoas mais idosas.
4 - Pessoas mais pesadas sentem menos efeito do álcool.
Verdade. Em geral, quanto maior o peso de uma pessoa, maior seu volume de água corporal. O álcool distribui-se por todo o conteúdo de água corporal. Portanto, se duas pessoas beberem a mesma quantidade de álcool, a pessoa com mais peso provavelmente será menos afetada pelo álcool do que a pessoa com menos peso.
5 - Mulheres são menos resistentes ao álcool que os homens.
Parcialmente verdade. São diversas razões que fazem as mulheres sentirem mais facilmente os efeitos, mas a questão deve ser vista caso a caso. Em geral, as mulheres são menores, têm menor porcentagem de água corporal natural do que os homens e têm a produção da enzima responsável pela quebra do álcool, álcool desidrogenase (ADH), menor.
6 - Todos digerem as bebidas alcoólicas da mesma forma.
Falso. Alguns indivíduos, especialmente asiáticos, apresentam elevada sensibilidade ao álcool por terem a enzima aldeído desidrogenase (ALDH) menos eficiente. Nessas pessoas as reações ao álcool — mesmo em pequenas quantidades — podem ser graves e causar vermelhidão no rosto, náusea, taquicardia e tontura.
7 - Cerveja e vinho não causam “ressaca”, pois são fracos.
Falso. O álcool existente em todas as bebidas alcoólicas — seja na cerveja, no vinho ou em bebidas destiladas — é sempre o etanol ou álcool etílico. Não existe uma forma desse álcool etílico causar menos efeito. As ressacas são um efeito de curto prazo comum causado pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas e que têm sintomas como dores de cabeça, náusea, boca seca e maior sensibilidade à luz.
Independente do produto que vai se beber, o que importa é quanto você bebe e não o que você bebe. As celebrações dos momentos são sempre melhores quando aproveitadas inteiramente, por isso, beber responsavelmente é sempre a melhor opção para evitar esses resultados desagradáveis.
8 - Durante a gravidez, beber pouco não causa prejuízo ao bebê.
Falso. Durante a gestação, não há nenhum limite seguro para a ingestão de bebidas alcoólicas. É recomendado que você não beba se pretende engravidar ou se está grávida. Beber durante a gravidez pode causar danos à saúde do seu bebê, como baixo peso e disfunção do sistema nervoso central.
9 – Bebidas alcoólicas curam depressão.
Falso. A depressão pode incitar a pessoa a consumir bebidas alcoólicas, mas o problema é quando o ato de beber se torna cotidiano e é visto como um medicamento, o que faz os benefícios desaparecerem rapidamente e causa uma busca por doses maiores para conseguir o mesmo efeito.
Portanto, em caso de depressão, consumir bebidas alcoólicas não resolverá a sua dificuldade. Nesse caso, é muito importante consultar um médico ou o serviço de assistência médica para tratar desse problema de saúde.
10 – Ingerir álcool apenas “corta” o efeito do medicamento.
Falso. A ingestão de álcool não é recomendada quando se utiliza medicamentos, pois eles podem intensificar os efeitos de modo indesejado ou neutralizá-los. A combinação dos dois produtos pode afetar também a coordenação motora. Portanto, antes de consumir bebidas alcoólicas, leia sempre os rótulos de todos os medicamentos com ou sem receita médica. Em caso de dúvida, consulte seu médico ou o serviço de assistência médica.

Fonte: http://extra.globo.com


Agora vamos aos mitos relacionados às bebidas de uma forma geral, daí você escolhe o que mais lhe faz bem, desde que não destrua seu dia depois de hoje!

1. Cerveja engorda mais do que vodka.

Falso. Um copo (240 ml) de cerveja contém 101 Kcal, enquanto que 200 ml de vodka carrega exorbitantes 480 calorias. A cerveja também tem menor concentração de álcool do que o destilado. Possui de 3 a 5 GL contra 37,5 GL da vodka. "A bebida fermentada contém pequenas quantidades de algumas vitaminas e minerais como vitamina B6, niacina, folato. Porém, o consumo excessivo pode causar obesidade e embriaguez", diz Fabiana Honda.


2. Vinho tinto é mais saudável do que vinho branco.


Verdadeiro. O vinho tinto é sempre produzido a partir das uvas roxas, enquanto os branco é procedente das uvas brancas ou roxas. A diferença é que, quando vinhos brancos são produzidos com uvas escuras, a casca da fruta é removida antes de terminar a fermentação do suco. E é na casca da uva que mora a maioria dos compostos que são benéficos à saúde.

Como o vinho tinto fica mais em contato com a casca, ele traz mais vantagens ao organismo do que o branco. Ele possui doses generosas de flavonóides, um antioxidante capaz de diminuir os riscos de doenças cardiovasculares, reduzir a incidência de tumores e auxiliar na absorção de minerais como cálcio, magnésio, fósforo e zinco.

Mas não precisa encher a taça para esbanjar saúde. Os benefícios são usufruídos com duas taças para homens e uma taça para mulheres. Até mesmo essa bebida santa tem os seu inconvenientes: pode causar alergia, enxaqueca e, em casos extremos, derrame cerebral. Seu consumo excessivo pode atacar o fígado.

3. Chope e cerveja têm as mesmas calorias

Falso. As duas bebidas estão muito próximas na corrida calórica, o chopel ainda leva vantagem. Uma tulipa de 150 ml tem 90 kcal e um copo de cerveja (100 ml) contém 41 kcal. Ambos têm pequenas doses de vitamina B6, niacina e folato.

4. Aguardente e cachaça são a mesma bebida.

Falso. A aguardente de cana é diferente da cachaça basicamente pela origem da matéria-prima. Enquanto a aguardente é feita diretamente do destilado da cana, a cachaça é extraída a partir do melaço resultante da produção do açúcar de cana. Um copo (100 ml) de aguardente tem 231 kcal, mesma quantidade de calorias da cachaça.

5. A Batida de Maracujá fica mais leve se for feita com aguardente.

Falso. A não ser que você queira acordar com uma baita dor-de-cabeça no dia seguinte, a aguardente não é indicada como substituto da vodka, pois seu teor alcoólico é mais elevado e a quantidade de calorias também. O teor alcoólico da aguardente varia de 38 a 54 GL enquanto da vodka é de 37,5 GL. A adição do leite condensado na batida aumenta o aporte calórico da bebida tornando-a a opção mais engordativa de todas. Por outro lado, sua presença pra lá de açucarada diminuiu a velocidade em que o álcool é absorvido pelo organismo.

6. Mojito é mais fraco do que o whisky.

Verdadeiro. O Mojito é uma tradicional bebida cubana que leva rum, club soda, folhas de hortelã, limão e açúcar. É menos calórico que o whisky e com teor de álcool menor, pois o rum (40 a 50 GL) é diluído na Club Soda.

Já o companheiro escocês, o whisky, apresenta teor de 40 GL O ideal seria tomar com gelo ou misturar um pouco de água para diminuir o teor alcoólico. "Bebidas com açúcar e diluídas são melhores para a saúde, pois atrasam a absorção de álcool pelo organismo. Quando o álcool entra rapidamente na corrente sangüínea, não há tempo suficiente para que ele seja metabolizado. Dessa forma, ele chega ao cérebro causando alguns prejuízos como diminuição da coordenação, do reflexo e da capacidade de raciocínio", avalia a nutricionista Fabiana Honda.
7. Posso tomar Bloody Mary sem comer antes e não fico bêbado.

Falso. Tudo bem que o Bloody Mary leva suco de tomate, mas não é isso que faz dele um coquetel ultranutritivo. A bebida pode até fazer mal para quem tem problemas gástricos, pois além do álcool, contém grande quantidade de condimentos como tabasco, molho inglês, pimenta e suco concentrado, que podem ser irritantes para a parede do estômago. "Nenhuma bebida alcoólica, exceto vinho tinto, pode ser considerada saudável. O tomate contém benefícios à saúde, mas recomenda-se consumi-lo acompanhado de algum alimento e não de uma bebida alcoólica", diz Fabiana. 8.

8. Espumantes do tipo Prosseco são tão bons como o vinho branco.

Verdadeiro. Prosecco nada mais é que tipo de vinho branco espumante. Uma taça contém 85 kcal. É feita a partir das uvas também chamadas prosecco, da família das Vitis Viniferas, originária da região do Veneto, Itália. A bebida apresenta substâncias antioxidantes, mas em menor quantidade que o vinho tinto.

9. Caipirinha engorda mais do que a cuba-libre.

Verdadeiro. Meio copo da brasileirissíma caipirinha feita com limão, pinga e açúcar tem 274 Kcal. Já um copo de cuba com coca-cola normal tem 190 kcal o número cai para 110 kcal se a bebida for feita com refrigerante light. Nem a caipirinha feita com adoçante consegue ser menos
calórica que a cuba. Fica com 231 Kcal. Na cuba-libre, o acréscimo de coca-cola aumenta a quantidade de calorias da bebida, porém a quantidade de açúcar presente no refrigerante ajuda a diluir o álcool.

 É isso gente. Bom carnaval. E até quarta feira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

Casamento Jeff e Carol - 21/04/2018

Se eu soubesse que 2018 seria tão emocionante e feliz, eu teria reclamado menos do pé na bunda que levei depois do Carnaval.  Pois é. Ass...