segunda-feira, 10 de maio de 2010

Chefe está viajando para a Rússia. Em algum momento, na preparação da viagem, surgiu a possibilidade de eu acompanhar a comitiva como tradutora. Eu sabia que não ia dar certo, porque eu sou terceirizada. Mas tentaram de todas as formas. Não rolou.
Mas foi bom, perceber que eu sou um diferencial. Não viajei, mas tive que ligar para lá, várias e várias vezes. Algumas pessoas acompanharam as ligações, só para me ver falar em russo.
Me senti a tal. Me achei a boazuada e me diverti e matei um pouco a saudade. Sempre fico emocionada com qualquer coisa relacionada à Rússia e agradeci internamente a Deus pela oportunidade. Posso não ter ido, mas ter falado em russo, já foi muito gratificante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

Quando é preciso acreditar em si

Há um ano eu conheceria uma pessoa que mudaria para sempre a relação que eu tenho comigo mesma. E que me fez entender o que é atravessar um...