quinta-feira, 22 de abril de 2010

Ao me deitar, sinto a presença de tua alma nua, crua e insosa.
Não planejo te abraçar, não me tornas melhor, nem perfeita.
Me fazes chorar e resmungar na velhice impessoal.
Reflito que é melhor comprar um gato, um rato e tempestade.
Não me queira, jamais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Me ajude a ser melhor!

Quando é preciso acreditar em si

Há um ano eu conheceria uma pessoa que mudaria para sempre a relação que eu tenho comigo mesma. E que me fez entender o que é atravessar um...